A dietética como prática do discurso sobre a longevidade

Autores

  • Adélli Bortolon Bazza Universidade Estadual de Maringá (UEM)
  • Daniela Polla Universidade Estadual de Maringá (UEM)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2017v14n2p2139

Palavras-chave:

Discurso, Longevidade, Cuidado de si, Dietética

Resumo

A partir de uma série enunciativa composta de textos veiculados na mídia, propõe-se, neste artigo, analisar algumas práticas que constituem o discurso da longevidade. Essa temática está relacionada aos saberes produzidos sobre/para/por idosos atualmente Tal interesse se justifica pelo aumento da população idosa e de sua relevância social no país, consequentemente, pela intensificação dos discursos a seu respeito. Baseado nos pressupostos de Michel Foucault, foram mobilizados os conceitos de discurso, subjetivação, práticas discursivas, cuidado de si e dietética. A análise dos enunciados demonstrou que, paralelamente à prática médica clínica, a dietética funciona como uma estratégia do cuidado de si no discurso sobre a longevidade e, como parte de um processo de subjetivação, os indivíduos sofrem coerção a adotá-la.

Biografia do Autor

Adélli Bortolon Bazza, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Professora no Departamento de Língua Portuguesa na Universidade Estadual de Maringá, área Texto e Discurso.

Daniela Polla, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Professora do Departamento de Fundamentos da Educação, área de Metodologia de Pesquisa

Downloads

Publicado

2017-06-23

Edição

Seção

Artigo