A parataxe nos escritos do Profeta Gentileza

Autores

  • Ivo Costa Rosário Universidade Federal Fluminense
  • José Marcos Barros Devillart Universidade Salgado de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2017v14n4p2637

Palavras-chave:

Discurso, Parataxe, Iconicidade

Resumo

Neste artigo, investigamos o processo de integração de orações por meio de relações paratáticas presentes nos escritos do Profeta Gentileza. Utilizamos pressupostos teórico-metodológicos oriundos da Linguística Funcional Centrada no Uso. Propomos uma análise que compreenda a parataxe no nível discursivo, e a atuação do princípio da iconicidade na organização linguística do texto, com o aporte teórico das unidades retóricas. Objetivamos apresentar uma reflexão sobre as pressões pragmático-discursivas que atuam nas unidades constitutivas do discurso, demonstrando que o processo de parataxe é influenciado por fatores que estão além do nível estritamente linguístico. Concluímos que as orações mais curtas da parataxe facilitam a repetição e a memorização, aspecto comum dos textos religiosos e propagandísticos. Além disso, o uso da parataxe é uma estratégica compatível com o paralelismo frequentemente adotado pelo Profeta Gentileza.

Biografia do Autor

Ivo Costa Rosário, Universidade Federal Fluminense

Professor de Língua Portuguesa e Linguística no Instituto de Letras da Universidade Federal Fluminense. Mestre e Doutor em Letras - UFF. Mestre e Doutor em Letras Vernáculas - UFRJ. Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas. Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem.

José Marcos Barros Devillart, Universidade Salgado de Oliveira

Professor Assistente de Língua Portuguesa do Departamento de Letras da Universidade Salgado de Oliveira. Mestre em Estudos de Linguagem - UFF.

Downloads

Publicado

2017-12-31

Edição

Seção

Artigo