E agora, José? A pontuação pelo viés das noções de falta e excesso

Autores

  • Marilei Resmini Grantham Universidade Federal do Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2017v14nespp2501

Palavras-chave:

Falta, Excesso, Estranhamento

Resumo

Este trabalho tem como ponto de partida os conceitos desenvolvidos e operacionalizados por Ernst (2009) no texto “A falta, o excesso e o estranhamento na constituição/interpretação do corpus discursivo". Das três noções desenvolvidas por Ernst em seu trabalho, dedico atenção às de falta e excesso e proponho-me a examinar esses conceitos pelo viés da pontuação. Com tal propósito, escolho como corpus analítico o poema “José”, de Carlos Drummond de Andrade, e, nele, de modo especial, a formulação “E agora, José?”, constante em todo o poema. Meu objetivo é trabalhar as noções desenvolvidas por Ernst, evidenciando o funcionamento discursivo da pontuação e procurando ampliar minhas próprias reflexões.

Biografia do Autor

Marilei Resmini Grantham, Universidade Federal do Rio Grande

Professora Associada da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), atuando no Curso de Letras e no Curso de Pós-Graduação Lato Sensu  em Linguística e Ensino de Língua Portuguesa. Fez Mestrado e Doutorado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Email: grantham@vetorial.net

Downloads

Publicado

2017-11-24