“Tem concerto” para a angústia: a constituição do sujeito ansioso e depressivo nas letras de Clarice Falcão e de Tiago Iorc

Autores

  • Thâmara Soares de Moura
  • Francisco Vieira da Silva

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2020.e70800

Palavras-chave:

Discurso, Transtorno de ansiedade, Depressão, Escritas de si, Subjetividade

Resumo

Considerando que o transtorno de ansiedade e a depressão engendram os discursos contemporâneos e, consequentemente, também atuam na modulação das subjetividades atuais, este trabalho objetiva investigar como ocorre a constituição dos sujeitos que enunciam, ansiosos e/ou depressivos, em letras de músicas de Clarice Falcão (álbum Tem conserto), bem como de Tiago Iorc (álbum Reconstrução). Para tanto, selecionou-se um corpus composto por trechos de duas músicas dos respectivos álbuns. Metodologicamente, trata-se de um estudo descritivo-interpretativo de corpus, com abordagem qualitativa, o qual se embasa, teoricamente, nos postulados foucaultianos (FOUCAULT, 1992, 2008), bem como em outros autores, como Bauman (2005), Giddens (2002) e Caponi (2013). Isso posto, identificou-se que a posição de sujeito que enuncia nas letras, imprime, poeticamente, os efeitos provenientes dos transtornos de ansiedade e depressivo por meio de uma escrita de si, que resulta numa constituição de si que reflete um sujeito angustiado, exausto e desmotivado.

Biografia do Autor

Thâmara Soares de Moura

Mestranda do do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Francisco Vieira da Silva

Docente da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) e do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e do Programa de Pós-Graduação em Ensino (POSENSINO) da associação entre a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN).

Referências

BAUMAN, Z. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BIRMAN, J. Muitas felicidades?! O imperativo de ser feliz na contemporaneidade. In:

FREIRE FILHO, João (org.). Ser feliz hoje: reflexões sobre o imperativo da felicidade. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010. p. 27-48.

CANGUILHEM, G. O normal e o patológico. Trad. Maria Thereza Redig de Carvalho Barrocas. 7. ed. reimpr. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2018.

CAPONI, S. Classificar e medicar: a gestão biopolítica dos sofrimentos psíquicos. In:

CAPONI, S. et al. A medicalização da vida como estratégia biopolítica. São Paulo: LiberArs, 2013. p. 85-99.

CASTELLANO, M. Cultura da autoajuda: o “surto do aconselhamento” e a bioascese na mídia. E-Compós, Brasília, v. 15, n. 1, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.30962/ec.685 Acesso em: 2 nov. 2019

CASTILHO, P. T. Uma discussão sobre a angústia em Jacques Lacan: um contraponto com Freud. Rev. Dep. Psicol., UFF, Niterói, v. 19, n. 2, p. 325-337, 2007.

CORREIO DO POVO. Em novo disco, Clarice Falcão se expõe e aborda temas como ansiedade e depressão: Lançado nas plataformas digitais, "Tem Conserto" é um trabalho pessoal, intimista introspectivo. 2019. Disponível em: https://www.correiodopovo.com.br/arteagenda/em-novo-disco-clarice-falc%C3%A3o-se-exp%C3%B5e-e-aborda-temas-como-ansiedade-e-depress%C3%A3o-1.347130. Acesso em: 18 nov. 2019

COURTINE, J.-J. Ler o corpo na Idade Clássica: uma formação discursiva. In: Decifrar o corpo: pensar com Foucault. Trad. Francisco Morás. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013. p. 47-80.

FALCÃO, C. Minha cabeça. Vagalume. 2019. Disponível em: https://www.vagalume.com.br/clarice-falcao/minha-cabeca.htmlacesso. Acesso em: 26 Nov. 2019

FOUCAULT, M. A escrita de si. In: O que é um autor? Lisboa: Passagens, 1992. p. 129-160;

FOUCAULT, M. Tecnologías del yo. Traducido por Mercedes Allendesalazar. Buenos Aires: Paidós, 2008.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Trad. Laura Fraga de Almeida Sampaio. 24. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017.

FOUCAULT, M. A hermenêutica do sujeito: curso dado no Collège de France (1981-1982). Trad. Márcio Alves da Fonseca e Salma annus Muchail. 3.ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2018.

FOUCAULT, M. História da sexualidade 1: a vontade de saber. 8. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2018.

FREIRE FILHO, J. O anseio e a obrigação de ser feliz hoje. In: FREIRE FILHO, J. (org.). Ser feliz hoje: reflexões sobre o imperativo da felicidade. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010. p. 13-26.

GIDDENS, A. Modernidade e identidade. Trad. Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2002.

GREGOLIN, M. do R. V. Análise do discurso: os sentidos e suas movências. São Paulo: Cultura Acadêmica Editora, 2001.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva e Guaracira Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HUFFMAN, K.; VERNOY, M.; VERNOY, J. Psicologia. Coordenação da tradução: Maria Emília Yanamoto. Revisão técnica: Agostinho Minicucci. São Paulo: Atlas, 2003.

IORC, T. Desconstrução. Letras.mus.br. Disponível em: https://www.letras.mus.br/tiago-iorc/desconstrucao/. Acesso em: 26 Nov. 2019.

MELHOR ESTIMA. Tiago Iorc aborda depressão em novo álbum. 2019. Disponível em: http://www.melhorestima.com.br/depressao/tiago-iorc-depressao-novo-album/. Acesso em: 18 nov. 2019

ORTEGA, F. O corpo incerto: corporeidade, tecnologias médicas e cultura contemporânea. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

SACRAMENTO, I. A era da testemunha: uma história do presente. Revista Brasileira de História da Mídia, São Paulo, v. 7, n. 1, p. 125-140, 2018.

SIBILIA, P. Biopoder. In: SIBILIA, P. O homem pós-orgânico: Corpo, subjetividade e tecnologias digitais. Rio de Janeiro: Relune Dumará, 2002. p. 157-202.

THEISEN, C. Ansiedade: sintoma social contemporâneo. 2015. 44 f. TCC (Graduação) – Curso de Psicologia, Departamento de Humanidade e Educação, Universidade Regional do Noroeste, Santa Rosa, 2015. Disponível em: http://bibliodigital.unijui.edu.br:8080/xmlui/handle/123456789/3309 Acesso em: 10 jun. 2018.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Depression and Other Common Mental Disorders: Global Health Estimates. Geneva: World Health Organization, 2017.

Publicado

2020-12-30