Internacionalização e formação linguística na UFBA: um relato sobre desafios e estratégias

Autores

  • Fernanda Mota Pereira Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2021.e72577

Palavras-chave:

Internacionalização, PROFICI, IsF, Língua Estrangeira

Resumo

Este artigo traz um relato sobre os desafios da proficiência linguística para o processo de internacionalização da UFBA e estratégias criadas para capacitar a comunidade acadêmica para superá-los. Ele é composto por quatro partes que, respectivamente, trazem considerações sobre a internacionalização e a proficiência linguística no Brasil; as medidas tomadas pela UFBA para atenuar as lacunas em relação à formação em língua estrangeira de sua comunidade com a criação do Programa de Proficiência em Língua Estrangeira para Estudantes e Servidores da UFBA (PROFICI); o histórico de implementação do Núcleo de Línguas (NucLi) no âmbito do Programa Idiomas sem Fronteiras e suas contribuições para o ensino de línguas estrangeiras para atender aos propósitos da internacionalização mais especificamente; e as reconfigurações das ações de formação linguística diante das demandas do CAPES - PrInt (CAPES, 2017). A pesquisa para este artigo consiste de uma análise documental de base qualitativa.

Biografia do Autor

Fernanda Mota Pereira, Universidade Federal da Bahia

Professora Associada da Área de Inglês do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia.

Referências

ABREU-E-LIMA, D. M. de; MORAES FILHO, W.; BARBOSA, W. J. C.; BLUM, A. S.. O Programa Inglês sem Fronteiras e a Política de Incentivo à Internacionalização do Ensino Superior Brasileiro. In: SARMENTO, S.; ABREU-E-LIMA, D. M. de; MORAES FILHO, W. B. (org.). Do Inglês sem Fronteiras ao Idiomas sem Fronteiras: A construção de uma política linguística para a internacionalização. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2016. p. 19-46.

BRASIL. Ciência sem Fronteiras. Disponível em: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/areas-contempladas 2020. Acesso em: 11 mar. 2020.

BRASIL. Decreto nº 7.642, dE 13 de dezembro de 2011. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7642.htm. Acesso em: 10 mar. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13415.htm. Acesso em: 2 mar. 2020.

BRASIL Ministério da Educação. Secretaria da Educação Superior. Programa Inglês sem Fronteiras. Portaria n. 1.466, 18 de dezembro de 2012. Disponível em: http://isf.mec.gov.br/images/pdf/portaria_normativa_1466_2012.pdf Acesso em: 10 mar. 2020.

CAPES. Programa Institucional de Internacionalização – CAPES – PrInt. 2017. Disponível em: https://capes.gov.br/bolsas-e-auxilios-internacionais/capes-print. Acesso em: 10 mar. 2020.

EDITAL de Chamada às Instituições Federais de Ensino Superior Membros da ANDIFES para adesão à rede ANDIFES nacional de especialistas em língua estrangeira – Idiomas sem Fronteiras. Disponível em: http://www.andifes.org.br/wp-content/uploads/2020/03/Edital-Rede-IsF-Adesa%CC%83o-IFES-ANDIFES.pdf Acesso em: 10 mar. 2020.

LEFFA, V. J. Criação de bodes, carnavalização e cumplicidade: considerações sobre o fracasso da LE na escola pública. In: LIMA, D. C. de (org.). Inglês na escola pública não funciona? Uma questão, múltiplos olhares. São Paulo: Parábola, 2011. p. 15-31.

MANCEBO, D.; VALE, A. A.; MARTINS, T. B. Políticas de expansão da educação superior no Brasil: 1995-2010. Revista Brasileira de Educação, v. 20 n. 60, p. 31-50. jan.-mar. 2015.

MINISTÉRIO da Educação. Portaria n. 973, de 14 de novembro de 2014. Disponível em: http://isf.mec.gov.br/images/pdf/novembro/Portaria_973_Idiomas_sem_Fronteiras.pdf Acesso em: 10 mar. 2020.

OLIVEIRA, A. L. de; FREITAS, M. E. de. Motivações para Mobilidade Acadêmica Internacional: a visão ce alunos e professores universitários. Educ. rev., Belo Horizonte, v. 32, n. 3, p. 217-246, Sept. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982016000300217&lng=en&nrm=iso Acesso em: 10 mar. 2020.

OLIVEIRA E PAIVA, V. L. M. de. Ilusão, aquisição ou participação. In: LIMA, D. C. de (org.). Inglês na escola pública não funciona? Uma questão, múltiplos olhares. São Paulo: Parábola, 2011, p. 33-46.

PARAGUASSU, L. Portugal é suspenso do Ciência sem Fronteiras. Educação. Estadão. 24 de abril de 2013. Disponível em: https://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,portugal-e-suspenso-do-ciencia-sem-fronteiras,1025096. Acesso em: 10 mar. 2020.

PEREIRA, F.. O Programa Idiomas sem Fronteiras e a formação de professores de inglês na UFBA: objetivos (inter)nacionais em práticas locais. Letras Raras. v.6, n.1, p. 151-165, 2017.

SARMENTO, S.; DUTRA, D. P.; BARBOSA, M. V.; MORAES FILHO, W. B.. IsF e Internacionalização: da teoria à Prática. In: SARMENTO, S.; DUTRA, D. P.; BARBOSA, M. V.; MORAES FILHO, W. B. (org.). Do Inglês sem Fronteiras ao Idiomas sem Fronteiras: A construção de uma política linguística para a internacionalização. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2016. p. 77-100.

WESTWOOD, P. What Teachers Need to Know about Differentiated Instruction. Victoria: ACER Press, 2016.

Downloads

Publicado

2021-04-06