A gramaticalização de a gente em português em tempo real de longa e de curta duração: retenção e mudança na especificação dos traços intrínsecos

Célia Regina dos Santos Lopes

Resumo


O artigo analisa a inserção da expressão a gente no sistema pronominal do português como um processo de variação e mudança de longa duração. Embora os traços formais e semântico-discursivos do nome gente e da forma pronominal a gente não sejam idênticos atualmente em português, discute-se a manutenção e perda de algumas propriedades da classe original e a adoção de características tipicamente pronominais à luz dos princípios da persistência e decategorização propostos por Hopper. Com base em cor pora orais gravados, no Rio de Janeiro, nas décadas de 70 e 90 (amostra NURC-RJ) e 80 e 2000 (amostra PEUL-RJ), são apresentados alguns resultados de estudos sociolingüísticos quantitativos para a discussão do atual estágio da substituição de nós por a gente em termos do comportamento da comunidade.

Palavras-chave


Pronomes pessoais; Variação e mudança no sistema pronominal do português; Gramaticalização.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais

Creative Commons License

Esta publicação está regida por uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Fórum Linguístico, ISSNe 1984-8412, Florianópolis (Santa Catarina), Brasil