O desempenho das universidades públicas portuguesas segundo seus alunos: análise de eficiência por meio do Data Envelopment Analysis

Autores

  • Emerson Wagner Mainardes Universidade da Beira Interior (UBI) Departamento de Gestão e Economia NECE – Núcleo de Estudos em Ciências Empresariais
  • Mário Raposo Universidade da Beira Interior (UBI) Departamento de Gestão e Economia NECE – Núcleo de Estudos em Ciências Empresariais
  • Helena Alves Universidade da Beira Interior (UBI) Departamento de Gestão e Economia NECE – Núcleo de Estudos em Ciências Empresariais

DOI:

https://doi.org/10.5007/1983-4535.2012v5n1p184

Palavras-chave:

Gestão de universidades, Eficiência, Expectativa, Satisfação, Data envelopment analysis.

Resumo

O objetivo desta investigação foi avaliar o desempenho das Universidades Públicas Portuguesas, tomando por base as expectativas e satisfação de seus alunos e utilizando o método DEA (Data Envelopment Analysis). Para atingir o principal objetivo desta investigação, fez-se uma explicação dos conceitos fundamentais para uso do DEA, que mede a eficiência de uma organização ao comparar inputsoutputs. Em seguida, realizou-se uma pesquisa com 1.669 alunos de 55 faculdades de 11 Universidades Públicas Portuguesas, medindo-se os inputs (expectativa) e outputs (satisfação). Ao finalizar a análise dos dados, obteve-se as faculdades que demonstram uma boa relação entre a expectativa e satisfação dos alunos, o que pode auxiliar a melhoria da eficiência das faculdades tidas como ineficientes. Constatou-se que o porte da universidade não garante a eficiência. Independente do tamanho, a eficiência no atendimento das expectativas dos alunos pode ser alcançada e o porte da universidade não pode ser justificativa para a ineficiência relativa da organização. Além disso, constatou-se também que uma universidade pode ter faculdades eficientes e outras ineficientes. Portanto, ao invés de unir forças e crescer conjuntamente, determinadas universidades não seguem uma estratégia única, desperdiçando uma de suas principais forças, a capacidade de ser multidisciplinar perseguindo um objetivo único.

Biografia do Autor

Emerson Wagner Mainardes, Universidade da Beira Interior (UBI) Departamento de Gestão e Economia NECE – Núcleo de Estudos em Ciências Empresariais

Doutor em Gestão pela UBI

Mestre em Administração pela FURB

Pesquisador Associado do NECE

Downloads

Publicado

2012-01-01

Edição

Seção

Artigos