Mobilidade acadêmica em perspectiva: experiências da Universidade Federal de Ouro Preto

Adilson Pereira dos Santos, Hermelinda Gomes Dias

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1983-4535.2012v5n4p172

 

A educação superior brasileira vem assistindo nos últimos anos, uma expansão significativa da mobilidade acadêmica nacional e/ou internacional, com destaque para o intercâmbio de estudantes. Este é o objeto de reflexão do artigo, que se inicia com uma discussão sobre a ruptura com os currículos mínimos e o advento das diretrizes curriculares nacionais, cuja principal característica é a flexibilidade curricular. Para os autores, a mobilidade acadêmica deve ser considerada neste contexto. Assim, apresenta-se a experiência de uma universidade federal, que através de três programas específicos, vem promovendo o intercâmbio estudantil com instituições brasileiras e do exterior. Constata-se, porém, que esta mobilidade, como experiência incipiente, necessita ações institucionais, visando a sua assimilação nos projetos político-pedagógicos dos cursos, na perspectiva das diretrizes curriculares.


Palavras-chave


Mobilidade acadêmica; Flexibilização curricular; Internacionalização

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1983-4535.2012v5n4p172

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Revista Gestão Universitária na América Latina - GUAL, ISSN 1983-4535, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Para entrar em contato com a equipe editorial da Revista GUAL, encaminhe um e-mail para revistagual@gmail.com.

 This obra is licensed under a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.