Caminhos formacionais na engenharia de produção: a formação docente e os resultados do ENADE 2011

Autores

  • José André Villas Boas Mello Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca
  • Flaviane Rodrigues De Sousa Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca

DOI:

https://doi.org/10.5007/1983-4535.2015v8n2p199

Palavras-chave:

Avaliação, ENADE, Docente

Resumo

O objetivo deste artigo é o de investigar se as instituições que empregam doutores, profissionais mais reflexivos, em seu quadro de docentes tendem a ter um desempenho melhor no exame nacional de desempenho estudantil (ENADE). Os dados referentes aos resultados do ENADE do grupo VI de 2011 divulgados em 2013 foram tabulados e analisados de modo a se permitir uma diferente visão do desempenho, tentando qualificar os resultados alcançados pelos segmentos de docentes: especialistas, mestres e doutores. Como resultado é possível afirmar que os cursos mais bem avaliados são os ofertados pelas instituições públicas de ensino superior. E que quando ocorre a predominância de docentes com a formação de Doutor, há a tendência de o curso ser bem avaliado.

Biografia do Autor

José André Villas Boas Mello, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca

Doutorado em Engenharia de Transportes. Possui Licenciatura Plena para a docência no ensino fundamental e médio. Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1996). Mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002).

Flaviane Rodrigues De Sousa, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca

Bacharel em Eng.Produção

Downloads

Publicado

2015-05-13

Edição

Seção

Artigos