Análise da adaptação cultural de estudantes internacionais sob o ponto de vista das Teorias da Curva “U” e da curva “W”

Luciane Stallivieri, Daísa Ziglioli Pilotto, Roberto Birch Gonçalves

Resumo


Estudantes de todo o mundo estão cada vez mais interessados em aprender novos idiomas e inserirem-se em culturas diferentes, intensificando os números da mobilidade acadêmica internacional. No entanto, quando estes estudantes viajam para outro país, as diferenças culturais são fortemente percebidas, mesmo que de formas diferentes, influenciando o processo de adaptação. Dada a relevância e o crescimento dos números da mobilidade acadêmica internacional, o presente estudo analisa o processo de adaptação cultural de estudantes em mobilidade, considerando os pressupostos das teorias das curvas “U” e “W”. Quanto à metodologia, trata-se de uma pesquisa descritiva com abordagem quantitativa. A coleta de dados foi realizada através de questionários fechados enviados a estudantes internacionais de diferentes países que estudaram ou que ainda estão estudando numa Instituição de Ensino Superior brasileira. Os resultados mostram que, após a fase do choque cultural, os estudantes se sentem mais conectados à cultura local, fazem mais amizades e se sentem mais confiantes. É possível afirmar, também, que quase todos os estudantes internacionais conseguiram se adaptar bem aos costumes locais.


Palavras-chave


Mobilidade acadêmica; Adaptação cultural; Estudantes Internacionais; Curva “U” e “W”

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1983-4535.2015v8n3p26

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Revista Gestão Universitária na América Latina - GUAL, ISSN 1983-4535, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Para entrar em contato com a equipe editorial da Revista GUAL, encaminhe um e-mail para revistagual@gmail.com.

 This obra is licensed under a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.