Comunicação interna em instituições públicas de ensino superior: canais e conteúdos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1983-4535.2021.e73482

Palavras-chave:

Comunicação Interna, Canais de comunicação, Conteúdos Comunicacionais, Instituições de Ensino Superior

Resumo

A comunicação interna vem sendo apontada como uma aliada no fortalecimento das interações, no sentimento de valorização, bem como no engajamento dos colaboradores com as metas e objetivos organizacionais. Assim sendo, este estudo busca analisar a prática da comunicação interna em uma determinada instituição de ensino superior, a fim de mapear as preferências dos funcionários em relação aos canais e conteúdos. Para tanto, foi utilizado o estudo de caso, por meio de uma abordagem predominantemente qualitativa. Concluiu-se que o e-mail é o canal mais utilizado; e que as mídias sociais e os aplicativos de mensagens instantâneas não têm uma boa aceitabilidade, enquanto a comunicação face a face é bem aceita pelos colaboradores. Em relação aos conteúdos, foi apontado o interesse pela divulgação de decisões da gestão, do Conselho Superior, planejamento e assuntos relacionados à gestão de pessoas. Assim, os resultados desta pesquisa pretendem ser uma fonte de assessoramento para que gestores públicos educacionais possam avaliar, definir ou redefinir suas ações de comunicação interna, como também visa ajudá-los a fortalecerem suas interações e relacionamentos com seus públicos estratégicos; e, consequentemente, refletirem de forma positiva na prestação dos serviços ofertados à sociedade.

Biografia do Autor

Maria Dionísia dos Santos, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano.

Possui graduação em Comunicação Social - Jornalismo em Multimeios pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB), especialista em Marketing e Gestão Estratégica pela Universidade Candido Mendes ( UCAM) e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). É jornalista do Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE).

Andréa Cardoso Ventura, Universidade Federal da Bahia

Possui mestrado, doutorado e pós-doutorado em Administração pela Universidade Federal da Bahia. É Professora Adjunta da Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Referências

BERLO, D. K. O Processo da Comunicação. São Paulo: Livraria Martins Fontes, 1985.

BERLO, D. K. O Processo de Comunicação: introdução à teoria e à prática. São Paulo: M. Fontes, 2003.

BRASIL, República Federativa (1996). Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

BUENO, Wilson da Costa. Comunicação empresarial: políticas e estratégias. São Paulo: Saraiva, 2009.

CALEIRAS, Maria Cândida Rodrigues (2015). Comunicação Interna na Novartis. (Dissertação de Mestrado). Escola Superior de Educação de Coimbra, Coimbra, Portugal.

CUBBAGE, A. K. (2005) Inside Voices, Currents, Vol. 31, pp. 14-19.

CURVELLO, J. J. A. Comunicação Interna e Cultura Organizacional. São Paulo: Scortecci, 2002.

DAL-FARRA, Rossano André; LOPES, Paulo Tadeu Campos. Métodos mistos de pesquisa em educação: pressupostos teóricos. Nuances: estudos sobre educação, Presidente Prudente - SP, v. 24, n. 3, 2013, pp. 67-80, set./dez. Disponível em: http://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/2698/2362 (Acessado: 18 de maio de 2016).

FARIAS, Luiz Alberto. O Campo Acadêmico do Ensino e da Pesquisa em Comunicação Organizacional e Relações Públicas no Brasil. In: KUNSCH, Margarida M. Kroling (Eds.). Comunicação Organizacional: histórico, fundamentos e processos (pp. 43-59). São Paulo: Saraiva, 2009.

FRIEDL, J.; VERCIC, A. T. (2011). Media preferences of digital natives internal communication: A pilot study. Public Relations Review, 37(1), pp. 84-86. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0363811110001311 (Acessado: 18 de maio de 2016).

GRAY, J.; LAIDLAW, H. (2002). Insider Perspectives on Communication Satisfaction. Australian Journal of Communications, V. 29, n. 3, pp. 111-124.

KARENGES, Emma; JOHNSTON, Kim; BEATSON, Amanda; Lings, Ian (2015). The influence of internal communication on employee engagement: A pilot stady. Public Relations Review, 41(1), pp. 129-131.

KUNSCH, Margarida M. Krohling. Comunicação Organizacional: contextos, paradigmas e abrangência conceitual. Matrizes (USP), V. 8, n. 2, 2014, pp. 35-61.

KUNSCH, Margarida M. Krohling (Org.). Comunicação Organizacional: histórico, fundamentos e processos. São Paulo: Saraiva, 2009.

KUNSCH, Margarida M. Krohling. Planejamento de Relações Públicas na Comunicação Integrada. São Paulo: Summus, 2003.

KUNSCH, Margarida M. Krohling (1992). Universidade e Comunicação na edificação da sociedade. São Paulo: Loyola.

LEIBNIZ, Gottfried Wilhelm. Novos Ensaios sobre o entendimento humano. Tradução de Luiz João Baraúna. São Paulo: Abril Cultural, 1984, Coleção Os Pensadores.

LYRA, M. G.; GOMES, R. C.; JACOVINE, L. G. O papel dos Stakeholders na sustentabilidade da empresa: contribuições para a construção de um modelo de análise. Curitiba: ANPAD / RAC, 2009.

MARCHIORI, M. Comunicação Interna: um fator estratégico no sucesso dos negócios. In: MARCHIORI, M. (Org.). Faces da Cultura e da Comunicação Organizacional (pp. 205-222). São Caetano do Sul: Difusão, V. 1, Série Comunicação Organizacional, 2008.

MATOS, Gustavo Gomes. Comunicação empresarial sem complicação: como facilitar a comunicação na empresa pela via da cultura e do diálogo. Barueri – SP: Manole, 2009.

MEIRELES, Manuel. Teorias da Administração: clássicas e modernas. São Paulo: Futura, 2003.

MEN, Linjuan Rita (2014). Strategic Internal Communication Transformational Leadership, Communication Channels, and Employee Satisfaction. Management Communication Quarterly, V. 28 (2), pp. 264-284.

MISHRA, K.; BOYNTON, L.; MISHRA, A. (2014). Driving Employee Engagement: The Expanded Role of Internal Communications. International Journal of Business Communication, V. 51 (2), pp. 183-202.

RIBEIRO, Regiane; MARCHIORI, Marlene. Comunicação Organizacional Dialógica: uma perspectiva de interação nas organizações. ALAIC – Associación Latinoamericana de Investigadores de Comunicación, IX Congresso Latinoamericano de investigación de La comunicación, pp. 1-14, Ciudad de Mexico, 2008. Disponível em: http://www.uel.br/grupo-estudo/gefacescom/images/Congresso_01_ALAIC_2008.pdf (Acessado: 30 de abril de 2016)

SIMÕES, Roberto Porto; LIMA, Suzy Mary do Nascimento. Relações Públicas e micropolítica: um estudo comparativo de seus processos e programas. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 7, 1997.

WELCH, M. (2012). Appropriateness and acceptability: Employee perspectives of internal communication. Public Relations Review, 38, pp. 246-254.

WELCH, M.; JACKSON, R. P. (2007). Rathinking internal communication: a stakeholder approach. Corporate Communications: An International Journal, 12 (2), pp. 177-198.

WHITE, C.; VANC, A.; STAFFORD, G. (2010). Internal Communication, Information Satisfaction, and Sense of Community: The Effect of Personal Influense. Journal of Public Relations Research, 22 (1), pp. 65-84.

Publicado

2021-01-04

Edição

Seção

Artigos