Fatores influenciadores da empregabilidade de alunos de instituições de ensino superior

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1983-4535.2021.e79029

Palavras-chave:

Ensino de Inovação, Ensino de Empreendedorismo, Metodologias Ativas de Aprendizagem, Inteligência Emocional, Empregabilidade

Resumo

Em um País onde os índices de desemprego são crescentes é natural que a empregabilidade seja o principal anseio e objetivo dos estudantes das Instituições de Ensino Superior (IES). Mas o simples fato de ter a formação acadêmica, não é mais suficiente para que os egressos sejam absorvidos pelo mercado de trabalho. Neste contexto, este estudo tem como objetivo analisar os fatores influenciadores na empregabilidade de alunos das IES. Para tanto, o estudo analisou se os fatores como ensino de inovação, ensino de empreendedorismo, a utilização de metodologias ativas de ensino e aprendizagem, a gestão de competência e a inteligência emocional, influenciam na empregabilidade dos alunos egressos das IES. A metodologia utilizada tratou-se de uma pesquisa quantitativa e descritiva, por meio da análise fatorial confirmatória e regressão linear múltipla, aplicada por uma survey a 411 alunos. Os resultados confirmam que o ensino de inovação, ensino de empreendedorismo, metodologias ativas de ensino e aprendizagem, gestão de competências e inteligência emocional influenciam positivamente na empregabilidade dos egressos das IES, assim como a inteligência emocional é o fator mais relevante para a empregabilidade dos alunos.

Biografia do Autor

Luís Henrique Nobrega de Faria Gomes, Universidade Potiguar (UNP)

Mestrado em Administração pela Universidade Potiguar (UnP). Especialista em Auditoria e Pericia Contábil pela UFRN, MBA em Gestão Financeira e Controladoria pela UNIFACEX, Especialista em Direito Administrativo e Gestão Pública pela UnP, Graduação em Sistemas de Informação pela Faculdades Integradas de Patos.  Experiência como Professor da Faculdade Católica Santa Teresinha nos cursos de graduação e pós-graduação nas áreas de Administração e Contabilidade.

Eliana Andréa Severo, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Pós-doutorado pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), Doutorado em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e Universidade de Caxias do Sul (UCS). Experiência na área de Administração de Empresas, com ênfase em gestão ambiental, inovação e empreendedorismo. Professora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), Departamento de Ciências Administrativas (DCA).

Julio Cesar Ferro de Guimarães, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Pós-doutorado pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), Doutorado em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e Universidade de Caxias do Sul (UCS). Tem experiência na área de Administração de Empresas, com ênfase em gestão da inovação, competitividade empresarial e produção mais limpa. Professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), Departamento de Ciências Administrativas (DCA).

Referências

ARROW, K. J. Economic welfare and the allocation of resources for invention. In: Readings in industrial economics. London: Palgrave, 1972, p. 219-236.

AUDY, J. A inovação, o desenvolvimento e o papel da universidade. Estudos Avançados, v. 31, n. 90, p. 75-87, 2017.

BAGOZZI, R. P.; YI, Y. Multitrait-multimethod matrices in consumer research. Journal of Consumer Research, v. 17, n. 4, p. 426-439, 1991.

BANKOLE, F. O.; BANKOLE, O. O. The effects of cultural dimension on ICT innovation: empirical analysis of mobile phone services. Telematics and Informatics, v. 34, n. 2, p. 490-505, 2017.

BERGMANN, H.; GEISSLER, M.; HUNDT, C.; GRAVE, B. The climate for entrepreneurship at higher education institutions. Research Policy, v. 47, n. 4, p. 700-716, 2018.

BIRD, B. Toward a theory of entrepreneurial competency. In: Seminal ideas for the next twenty-five years of advances. United Kingdom: Emerald Publishing Limited, 2019, p. 115-131.

BRASIL. Ministério da Educação. MEC. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. Inep. Censo da Educação Superior 2017. Brasília: Inep, 2017. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/censo-da-educacao-superior. Acesso em: 28 abr. 2019.

CAMPOS K. C. L. Construção de uma escala de empregabilidade: competências e habilidades pessoais, escolares e organizacionais. São Paulo: USP, 2006, 172 p. Tese (Doutorado em Psicologia) Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, 2006.

COOPER, A.; PETRIDES, K. V. A psychometric analysis of the Trait Emotional Intelligence Questionnaire–Short Form (TEIQue–SF) using item response theory. Journal of Personality Assessment, v. 92, n. 5, p. 449-457, 2010.

CRIPE, E. J.; MANSFIELD, R. Profissionais disputados: as 31 competências de quem agrega valor nas empresas. Rio de Janeiro: Campus, 2003.

CROSSMAN, J. E.; CLARKE, M. International experience and graduate employability: Stakeholder perceptions on the connection. Higher Education, v. 59, n. 5, p. 599-613, 2010.

DEWEY, J. Democracy and education. The Middle Works, v. 9, p. 1899-1924, 1980.

DIESEL, A.; BALDEZ, A. L. S.; MARTINS, S. N. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, v. 14, n. 1, p. 268-288, 2017.

DI FABIO, A.; SAKLOFSKE, D. H. Comparing ability and self-report trait emotional intelligence, fluid intelligence, and personality traits in career decision. Personality and Individual Differences, v. 64, p. 174-178, 2014.

DRAGANIDIS, F.; MENTZAS, G. Competency based management: a review of systems and approaches. Information Management & Computer Security, v. 14, n. 1, p. 51-64, 2006.

DRUCKER, P. F. Inovação e espírito empreendedor – Entrepreneurship. 6 ed. São Paulo: Pioneira, 1985.

DUMINELLI, M. V.; REDIVO, T. S.; BARDINI, C.; YAMAGUCHI, C. K. Metodologias ativas e a inovação na aprendizagem no ensino superior. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 5, p. 3965-3980, 2019.

ETZKOWITZ, H.; LEYDESDORFF, L. The dynamics of innovation: from national systems and “mode 2” to a triple helix of university-industry-government relations. Research Policy, v. 29, n. 2, p. 109-123, 2000.

ETZKOWITZ, H.; ZHOU, C. Hélice tríplice: inovação e empreendedorismo universidade-indústria-governo. Estudos Avançados, v. 31, n. 90, p. 23-48, 2017.

FALLOWS, S.; STEVEN, C. Building employability skills into the higher education curriculum: a university‐wide initiative. Education + Training, v. 42, n. 2, p. 75-83, 2000.

FARIA, M. C. C. S. Promoção de competências empreendedoras para o desenvolvimento socioprofissional de estudantes do ensino superior. Algarve: UAlg, 2018, 226 p. Tese (Pós-Doutorado em Psicologia) Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Universidade do Algarve, 2018.

FIDALGO-BLANCO, Á.; SEIN-ECHALUCE, M. L.; GARCÍA-PEÑALVO, F. J. Enhancing the main characteristics of active methodologies: a case with micro flip teaching and teamwork. International Journal of Engineering Education, v. 35, n. 1B, p. 397-408, 2019.

FINCH, D. J.; HAMILTON, L. K.; BALDWIN, R.; ZEHNER, M. An exploratory study of factors affecting undergraduate employability. Education + Training, v. 55, n. 7, p. 681-704, 2013.

GOLEMAN, D. Inteligência emocional: a teoria revolucionária que define o que é ser inteligente. Rio de Janeiro: Objetiva, 2 ed. 2012.

GUIMARÃES, J. C. F.; SEVERO, E. A.; NÓBREGA, K. C.; TONDOLO, V. A. G. Antecedents of student retention: the influence of innovation and quality of teaching in Brazilian universities. International Journal of Innovation and Learning, v. 26, n. 3, p. 235-255, 2019.

HAIR Jr., J. F.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; ANDERSON, R. E. Multivariate data analysis. Pearson new international edition. Pearson Higher Ed, 2013.

HASSAN, N. F. B.; PUTEH, S. B.; SANUSI, A. B. M. Elements of technology enabled/enhanced active learning (TEAL) to enhance quality and employability of bachelor’s students. In: MALAYSIA TECHNICAL UNIVERSITIES CONFERENCE ON ENGINEERING AND TECHNOLOGY – MATEC Web of Conferences, v. 150, Proceedings, EDP Sciences, 2018.

HUQ, A.; GILBERT, D. All the world’sa stage: transforming entrepreneurship education through design thinking. Education + Training, v. 59, n. 2, p. 155-170, 2017.

HULT, G. T.; SNOW, C. C.; KANDEMIR, D. The role of entrepreneurship in building cultural competitiveness in different organizational types. Journal of Management, v. 29, n. 3, p. 401-426, 2003.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa nacional por amostra de domicílios contínua – PNAD contínua, 2019. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/trabalho/9173-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios-continua-trimestral.html?edicao=26039&t=quadro-sintetico. Acesso em: 25 nov. 2019.

JACKSON, D.; WILTON, N. Perceived employability among undergraduates and the importance of career self-management, work experience and individual characteristics. Higher Education Research & Development, v. 36, n. 4, p. 747-762, 2017.

JAYAWARDENA, L. N. A. C.; GREGAR, A. Enhancing the Employability of High School Graduates: Impact of Emotional Intelligence. Wseas Transactions on Business and Economics, v. 10, n. 2, p. 89-96, 2013.

KANE, L. Educators, learners and active learning methodologies. International Journal of Lifelong Education, v. 23, n. 4, p. 275-286, 2004.

KEINÄNEN, M.; URSIN, J.; NISSINEN, K. How to measure students’ innovation competences in higher education: Evaluation of an assessment tool in authentic learning environments. Studies in Educational Evaluation, v. 58, p. 30-36, 2018.

LLIBRE GUERRA, J. J.; PRIETO DOMÍNGUEZ, A.; GARCÍA ARJONA, L.; DÍAZ MARANTE, J. P.; VIERA MACHADO, C.; PILOTO CRUZ, A. Influencia de la inteligencia emocional en los resultados académicos de estudiantes de las Ciencias Médicas. Revista Habanera de Ciencias Médicas, v. 14, n. 2, p. 241-252, 2015.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman Editora, 2012.

MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, p. 2-25, 2018.

NEVES, V. V. Inteligência emocional dos gestores de diferentes tipos de organizações portuguesas: estudo exploratório. Minho: UM, 2017. Dissertação (Mestrado em Gestão de Recursos Humanos) Universidade do Minho, 2017.

ONSTENK, J. Entrepreneurship and vocational education. European Educational Research Journal, v. 2, n. 1, p. 74-89, 2013.

PAIS-MONTES, C.; FREIRE-SEOANE, M. J.; LÓPEZ-BERMÚDEZ, B. Employability traits for engineers: A competencies-based approach. Industry and Higher Education, v. 33, n. 5, p. 308-326, 2019.

PHAM, T.; SAITO, E. Teaching towards graduate attributes: how much does this approach help Australian graduates with employability. In: Innovate Higher education to Enhance Graduate Employability: Rethinking the Possibilities. Globalization Leadership & Policy, p. 109-121, Routledge, 2019.

SAITO, E.; PHAM, T. A Comparative institutional analysis on strategies that graduates use to show they are employable: a critical discussion on the cases of Australia, Japan and Vietnam. Higher Education Research & Development, v. 38, n. 2, p. 369-382, 2019.

SALGANIK, M. J.; HECKATHORN, D. D. Sampling and estimation in hidden populations using respondent‐driven sampling. Sociological Methodology, v. 34, n. 1, p. 193-240, 2004.

SALOVEY, P.; MAYER, J. D. Emotional intelligence. Imagination, Cognition and Personality, v. 9, n. 3, p. 185-211, 1990.

SAUERMANN, H.; COHEN, W. M. What makes them tick? Employee motives and firm innovation. Management Science, v. 56, n. 12, p. 2134-2153, 2010.

SCHWAB, K. A quarta revolução industrial. 1 ed. São Paulo: Edipro, 2019.

SCHUMPETER, J. A. The theory of economic development. 1. ed. Cambridge: Harvard University Press, 1934.

SEBRAE – SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Empreendedorismo nas universidades brasileiras. Brasília: SEBRAE, 2016.

SEVERO, E. A.; DE GUIMARÃES, J. C. F.; DORION, E. C. H. Cleaner production, social responsibility and eco-innovation: Generations' perception for a sustainable future. Journal of Cleaner Production, v. 186, p. 91-103, 2018.

SEVERO, E. A.; GUIMARÃES, J. C. F. de; SERAFIN, V. F. Formação docente: metodologias ativas de aprendizagem para ensino superior. Revista Educação: Teoria e Prática, 2019. In Press.

SIGNORI, G. G.; GUIMARÃES, J. C. F. de; SEVERO, E. A.; ROTTA, C. Gamification as nan innovative method in the processes of learning in higher education institutions. International Journal of Innovation and Learning, v. 24, n. 2, p. 115-137, 2018.

SILVA, J. S.; DA SILVA, M. D. N. L.; DE SOUZA, F. M. A. Domínio da inteligência emocional no processo de liderança. Revista Eletrônica Cosmopolita em Ação, v. 4, n. 2, p. 72-98, 2019.

SWIATKIEWICZ, O. Competências transversais, técnicas ou morais: um estudo exploratório sobre as competências dos trabalhadores que as organizações em Portugal mais valorizam. Cadernos EBAPE.BR, v.12, n.3, p. 633-687, 2014.

TAYLOR, F. W. Princípios de administração científica. São Paulo: Atlas, 1970.

TYMON, A. The student perspective on employability. Studies in Higher Education, v. 38, n. 6, p. 841-856, 2013.

UDAYAR, S.; FIORI, M.; THALMAYER, A. G.; ROSSIER, J. Investigating the link between trait emotional intelligence, career indecision, and self-perceived employability: the role of career adaptability. Personality and Individual Differences, v. 135, p. 7-12, 2018.

VALENTE, J. A. A sala de aula invertida e a possibilidade do ensino personalizado: uma experiência com a graduação em midialogia. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

VERGARA, S. C. Métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2008.

WATTS, A. Career development learning and employability. New York: ESECT and HEA, 2006.

WORLD ECONOMIC FORUM. The future of jobs report 2018. World Economic Forum, Geneva, Switzerland, 2018.

Downloads

Publicado

2021-08-30

Edição

Seção

Artigos