Identificação e desempenho acadêmico: o olhar dos estudantes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1983-4535.2021.e79120

Palavras-chave:

Desempenho acadêmico, Identificação, Ensino superior, Discente, Graduação em administração

Resumo

Este estudo teve como objetivo descrever as percepções dos discentes sobre as relações entre seu desempenho acadêmico e seu nível de identificação com o curso de graduação e com a instituição de ensino superior que estudam. O desempenho acadêmico do aluno é um dos fatores associados diretamente à evasão no ensino superior e pode estar associado a fatores sociais, demográficos e àqueles ligados à própria universidade, bem como a fatores psicológicos. Para tanto foi realizada uma pesquisa qualitativa descritiva, em que foram investigados os alunos do curso de graduação em administração da Universidade Federal de Viçosa (campus Florestal). Os dados foram coletados por observação participante, entrevistas semiestruturadas, técnica de escolha  com 20 estudantes de diversos períodos. Foi realizada a análise de conteúdo e os dados organizados em três categorias: curso, universidade e desempenho acadêmico. Os resultados indicaram que a maioria dos discentes possui identificação ambivalente com o curso e se sentem superidentificados com a universidade, bem como se consideram com bom desempenho acadêmico. Concluiu-se que os alunos superidentificados tanto com o curso quanto com a universidade possuíam a tendência de ter um desempenho superior.

Biografia do Autor

Mara Danielly Mendonça Silva, Universidade Federal de Viçosa

Graduada em Administração pela UFV

Adriana Ventola Marra, Universidade Federal de Viçosa

DOUTORA EM ADMINISTRAÇÃO PELO CEPEAD/FACE/UFMG E PROFESSORA DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA/CAMPUS DE FLORESTAL

Nayara Kelly Ferreira dos Santos, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Mestranda em Letras da PUC Minas

Referências

ALBERT, S.; ASHFORTH, B. E.; DUTTON, J. E. Organizational Identity and Identification: Charting New Waters and Building New Bridges. Academy of Management Review, Briarcliff Manor: Academy of Management, v. 25, n. 1, p.13-17, jan. 2000.

ASHFORTH, B. E.; HARRISON, S. H.; CORLEY, K. G. Identification in Organizations: An Examination of Four Fundamental Questions. Journal of Management, [s.l.], v. 34, n. 3, p. 325-374, 2008.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRANDT, J. Z.i; TEJEDO-ROMERO, F.; ARAUJO, J. F. F. E.. Fatores influenciadores do desempenho acadêmico na graduação em administração pública. Educação e Pesquisa, v. 46, e202500, p. 1-20, 2020.

BORGES, M. S.; MIRANDA, G. J.; FREITAS, S. C..A teoria da autodeterminação aplicada na análise da motivação e do desempenho acadêmico discente do curso de ciências contábeis de uma instituição pública brasileira. Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, v. 14, n. 32, p. 89-107, ago.2017.

BOROS, S.; CURSEU, P. L. To be or not to be...identified. Explorations of students’ (dis)identification in a Romanian university. Psihologia Resurselor Umane, [s.l.], v. 10, n.1, p.57-69, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação superior 2017. Brasília, DF, 2018. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/setembro-2018-pdf/97041-apresentac-a-o-censo-superior- ultimo/file. Acesso em: 07 ago. 2019.

BÜCKER, S. et al. Subjective well-being and academic achievement: A meta-analysis. Journal of Research in Personality, v. 74, p. 83-94, 2018.

CORBUCCI, P. R. Desafios da educação superior e desenvolvimento no Brasil. Brasília: Ipea, p. 1-35, jul. 2007. (Texto para discussão, n. 1287).

CRESTANI, R. L. Motivação, inteligência e inteligência emocional e suas relações com o desempenho acadêmico. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Vale do Sapucaí - UNIVAS, Pouso Alegre, MG, 2015.

CRESWELL,J.W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Porto Alegre: Artmed,2007.

DONOGHUE, S.. Projective Techniques in Consumer Research. Journal of Family Ecology and Consumer Sciences, v.28, p. 57-53, 2000.

DUCKWORTH, A. L. et al. Self-control and academic achievement. Annual Review of Psychology, v. 70, p. 373-399, 2019.

DURÁN SANTOMIL, Pablo et al. Determinantes del rendimiento académico del alumnado de una asignatura de contabilidad : el caso de la USC. Revista de Docencia Universitaria, Valência, v. 14, n. 1, p. 151-178, 2016.

FREITAS, M. E. de. Contexto Social e Imaginário Organizacional Moderno. RAE - Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 40, n. 2, p. 6-15, 2000.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GODOI, C. K.; MATTOS, P. L. C. L. de. Entrevista qualitativa: instrumento de pesquisa e evento dialógico. In: GODOI, C. K.; MELO, R. B. de; SILVA, A. B. da. Pesquisa Qualitativa em Estudos Organizacionais: Paradigmas, Estratégias e Métodos. São Paulo: Saraiva, 2006. p.301-323.

HAVEROTH, J.; SANTOS, C. A. dos; CUNHA, P. R. da. Relação do Afeto Percebido com o Desempenho de Acadêmicos de Ciências Contábeis e Características Individuais. Sociedade, Contabilidade e Gestão, Rio de Janeiro: UFRJ, v. 14, n. 3, p. 1-19, 2019.

JENKINS, R. Social identity. Park Square, Milton Park: Routledge, 2008. 257 p.

KREINER, G. E.; ASHFORTH, B. E. Evidence toward an expanded model of organizational identification. Journal of Organizational Behavior, v. 25. n. 1, p. 1-27, 2004.

LOPES, M. A. S. Análise do desempenho acadêmico dos alunos do curso de ciências contábeis da Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES pela forma de ingresso: cotistas e não cotistas. In: XVII Congresso Brasileiro de Custos, Belo Horizonte, 2010. Anais XVII Congresso Brasileiro de Custos, Belo Horizonte, 2010. Disponível em: https://anaiscbc.emnuvens.com.br/anais/article/view/759. Acesso em: 14 ago.2019.

MIRANDA,G.J. Relações entre as qualificações do professor e o desempenho discente nos cursos de graduação em Contabilidade no Brasil. 2011. Tese (Doutorado em Controladoria e Contabilidade: Contabilidade) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo,2011.

MIRANDA, G. J. et al. Determinantes do Desempenho Acadêmico na Área de Negócios. Revista Meta: Avaliação, [s.l.], v. 7, n. 20, p. 175-209, nov. 2015.

MOREIRA, A. M. de A. Fatores institucionais e desempenho acadêmico no ENADE: um estudo sobre os cursos de biologia, engenharia civil, história e pedagogia. 2010. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2010.

MUNHOZ, A. M. H. Uma análise multidimensional da relação entre inteligência e desempenho acadêmico em universitários ingressantes. 2004. Tese de Doutorado- Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, Brasil,2004.

OGUSHI, M. M. P.; BARDAGI, M. P. Reflexões sobre a relação estudante-universidade a partir de uma experiência de atendimento em orientação profissional. Extensio: Revista Eletrônica de Extensão, Florianópolis, v. 12, n. 19, p.33-50, ago. 2015.

OLIVEIRA, C. H. M. de. et al. Busca dos fatores associados à evasão: um estudo de caso no campus universitário da UFC em Crateús. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, v. 5, p. 1-23, 2019.

SANTOS, N. A. Determinantes do desempenho acadêmico dos alunos dos cursos de Ciências Contábeis. 2012.Tese (Doutorado em Controladoria e Contabilidade: Contabilidade) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SCHARF, E. R. Paradoxos na identificação organizacional com uma instituição de ensino superior. Revista Gestão Universitária na América Latina - GUAL, Florianópolis, v. 9, n. 2, p. 192-215, maio 2016.

UFV. Universidade Federal de Viçosa. SAPIENS. Sistema de Apoio ao Ensino. Estatísticas, 2020.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

Downloads

Publicado

2021-08-30

Edição

Seção

Artigos