A EDUCAÇÃO MEDIADA COM AS TECNOLOGIAS DIGITAIS VISANDO O EQUILÍBRIO DO PLANETA E MANUTENÇÃO DA VIDA

Conteúdo do artigo principal

José Fonseca da Silva
https://orcid.org/0000-0001-5173-3974
Henrique Nou Schneider

Resumo

Resumo
Objetivo: Este artigo, derivado do subconjunto da fundamentação teórica de uma dissertação em desenvolvimento no Programa de Pós-Graduação da UFS, discute a problemática do equilíbrio da biosfera ameaçado pela ação irresponsável e inconsequente do humano, suscitando a urgência do desenvolvimento da consciência biofílica. Esta pesquisa, de natureza qualitativa, tem os estudantes do terceiro ano do Ensino Médio do Colégio Estadual 17 de Março, localizado no município de Aracaju, como sujeitos.
Design/Metodologia/Abordagem: É uma investigação de natureza qualitativa interessada em compreender a subjetividade dos sujeitos envolvidos, além de buscar interpretar a realidade na qual o pesquisador imerge na experiência junto com os participantes, exigindo uma atitude hermenêutica. Do ponto de vista procedimental, corresponde a um estudo de caso, contribuindo para o conhecimento dos fenômenos individuais, grupais, organizacionais, sociais, políticos e relacionados. Caracteriza-se, pois, como uma pesquisa bibliográfica, na qual a seleção do embasamento teórico ocorreu por meio de Revisão Sistemática de Literatura (RSL) e leitura de artigos científicos e de livros afins. Os dispositivos de produção e coleta de dados a serem utilizados são o questionário semiestruturado, o aplicativo Padlet e oficinas com aplicação de uma Webquest. A análise dos dados será realizada por meio da Análise Textual Discursiva (ATD).
Resultados: A pesquisa encontra-se em desenvolvimento.
Originalidade/Valor: Com base na RSL realizada, constatou-se o caráter de ineditismo da pesquisa, demonstrando o inequívoco valor de sua contribuição para o alargamento do conhecimento.
Referências
 
Castells, M. (2020). A sociedade em rede. 21. ed. São Paulo: Paz e Terra.
Guatarri, F. (2012). As três ecosofias. 21. ed. Campinas-SP: Papirus.
Harari, Y. N. (2018). 21 lições para o século XXI. São Paulo: Companhia das Letras.
Jonas, H. (2006). O princípio responsabilidade: ensaio de uma ética para a civilização tecnológica. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio.
Lévy, P. (2010). Cibercultura. 3. ed. (3ª reimpressão, 2018). São Paulo: Editora 34.
Maffesoli, M. (2021). Ecosofia: uma ecologia para nosso tempo. São Paulo: Edições Sesc São Paulo.
Moraes, R. & Gagliazzi, M. C. (2016). Análise textual discursiva. 3. ed. Ijuí: Editora Unijuí. E-book
Morin, E. (2018). A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 24. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.
Morin, E. (2020). É hora de mudarmos de via: as lições do coronavírus. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.
Rifkin, J. (2012). A Terceira Revolução Industrial: como o poder lateral está transformando a energia, a economia e o mundo. São Paulo: M. Books do Brasil Editora Ltda.
Rifkin, J. (2016). Sociedade com custo marginal zero: a Internet das Coisas, os bens comuns colaborativos e o eclipse do capitalismo. São Paulo: M. Books do Brasil Editora Ltda.
Schneider, H. N. (2002). Um ambiente ergonômico de ensino-aprendizagem informatizado. Tese de doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.
Schneider, H. N. (2018). Por que se faz mal uso das tecnologias na atualidade? (Cap.8, pp. 63-79). Curitiba: Appris.
Silva, T. T. (2020). Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora.
Thompson, I. (2021, outubro). Uma oportunidade única. Revista Veja, 2761 (42), ano 54, 16-17. (Especial Agenda Verde).
Wallace-wells, D. (2019). A Terra inabitável: uma história do futuro. São Paulo: Companhia das Letras.
Yin, R. K. (2015). Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman.
 
 

Detalhes do artigo

Seção
Artigos