Mídia e movimentos sociais: a satanização do MST na Folha de S. Paulo

Ayoub Hannah Ayoub

Resumo


Este trabalho investiga o tratamento dispensado pela Folha de S. Paulo à cobertura das ações do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Os textos levantados são de primeira página em edições ao longo do ano 2000. Como fundamentação teórico-metodológica, o estudo adota uma combinação entre Análise do Discurso e Análise de Conteúdo, utilizadas de modo complementar. Os elementos de análise são mostrados numa tabela por meio de um conjunto de vetores que classificam os conteúdos levantados. Conclui-se que o conteúdo dessas matérias constitui um ataque ao MST, fere o Código de Ética dos Jornalistas e desrespeita o direito constitucional à informação. As análises dos textos publicados na Folha de S. Paulo evidenciam uma postura contrária ao Movimento dos Sem-Terra e torna clara a absorção, pela imprensa, do mesmo discurso da classe dominante no Brasil.

Palavras-chave


Folha de S. Paulo; Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra; Ética dos jornalistas; Direito à informação; Manipulação; Journalists ethic; Right to information; Manipulation; Newspaper Folha de S. Paulo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons