Notas sobre as estratégias de celebração e consagração do jornalismo

Antônio Fausto Neto

Resumo


 

Reflete-se sobre as transformações da autonomia do campo midiático-jornalístico, a partir de mutações do processo da noticialilidade decorrentes dos efeitos da midiatização da sociedade e de suas práticas sociais. O foco de análise são as operações de auto-referencialidade pelas quais a enunciação jornalística indica a natureza e a especificidade do seu lugar e dos efeitos de suas operações sobre as condições de construção de sua legitimidade. Toma-se como estudo a revista Imprensa, através de sua secção “entrevista”, cujas estratégias de auto-referencialidade se evidenciam pela própria existência da publicação e pela transformação dos objetos das entrevistas – os jornalistas – em “sujeitos da celebridade”. Estas operações de referenciação visam a consagrar o jornalismo como prática social e de sentido.


Palavras-chave


Auto-referencialidade; Autonomia; Interface; Jornalismo; Jornalistas; Self-referentiality; Autonomy; Journalism; Journalists

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2008v5n1p109

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons