A função pública do jornalista: da imparcialidade à coesão social

Mariano Ure

Resumo


 

O artigo se insere no debate sobre que tipo de jornalismo requerem as sociedades complexas e plurais, e questiona a velha ferramenta da excelência na confecção da notícia. Critica os resquícios da teoria do derrame no terreno da comunicação, segundo a qual quanto maior e mais objetiva for a informação, maior democracia e institucionalidade. E assim, reconsidera o critério da imparcialidade e a competência profissional sobre a informação ética, propondo em seu lugar o compromisso social, que se cumpre na promoção de uma cultura da paz. Finalmente, redefine o jornalismo responsável como aquele que media a fragmentação dando lugar à coesão social.


Palavras-chave


Jornalismo responsável; Violência; Sensacionalismo; Pacificação; Diversidade; Coesão social

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2008v5n2p113

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons