Os jornalistas como “comunidade interpretativa transnacional”

Cristina Ponte

Resumo


 

Este artigo explora o conceito dos jornalistas como comunidade interpretativa (Zelizer, 1993), transnacional (Traquina, 2002), com base numa pesquisa comparada de jornais de 13 países europeus (outubro-novembro de 2007), realizada no âmbito do Projecto EU Kids Online. Incidindo sobre critérios de seleção e de apresentação de notícias sobre crianças e internet, identificam-se narrativas comuns e assinalam-se particularidades da cobertura nacional. Em especial, os modos como dois acontecimentos internacionais foram enquadrados e noticiados permite constatar que, apesar das singularidades locais, existe e manifesta-se uma cultura comum nas formas de enquadrar riscos e oportunidades da internet na vida de crianças, a que não é alheia também uma escassa atenção aos direitos comunicacionais consignados pela Convenção dos Direitos da Criança, de 1989.


Palavras-chave


Jornalismo comparado; Comunidade interpretativa transnacional; Crianças e internet; EU Kids Online; Comparative journalism; Interpretative community; Children and the internet

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2009v6n1p143

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons