A celebração da prática e da teoria do fazer jornalístico – Zero Hora 45 Anos

Daiane Bertasso Ribeiro, Maria Ivete Trevisan Fossá

Resumo


 

Partimos do pressuposto de que o jornalismo se constitui em uma prática discursiva. Sendo assim, seus textos são entendidos como discursos, pelos quais ele constrói a realidade. Embora no exercício da profissão persista a busca pela objetividade, entendida neste trabalho como uma estratégia para produzir efeitos de sentido de “realidade”, “verdade” e “imparcialidade”. Também partimos do pressuposto de que atualmente a prática jornalística passa por transformações decorrentes da midiatização, recorrendo a estratégias de autorreferencialidade, compreendida como a competência discursiva que os dispositivos midiáticos possuem de poder falar de si mesmo e de outros campos sociais. Para tanto, a nossa reflexão sobre a prática e a teoria do fazer jornalístico se estabelece por meio da observação dos produtos midiáticos que celebram os 45 anos do jornal Zero Hora - RS.


Palavras-chave


Discurso Jornalístico; Autorreferencialidade; Midiatização; Journalistic Discourse; Self-Referential; Mediatization

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2009v6n2p17

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons