O telejornalismo e as narrativas sobre o controle social dos meios de comunicação

Ivonete da Silva Lopes

Resumo


 

A democratização da comunicação ganhou evidência na agenda política brasileira a partir de  2006, quando  os movimentos sociais começaram a reivindicar mais veementemente a realização de uma conferência nacional sobre a temática. Permeia essa discussão o controle social dos meios de comunicação, em especial da televisão aberta. Entender como a responsabilização social da mídia é narrativizada  pela  televisão é o enfoque deste trabalho, que analisa as narrativas sobre a Conferência Nacional da Comunicação e da terceira versão do Plano Nacional dos Direitos Humanos (PNDH-3), ambas veiculadas pelos telejornais Repórter Brasil (TV Brasil) Jornal Nacional (Rede Globo). A intenção é problematizar como o conceito de público-privado aparece  na encenação das notícias que enfocam questões diretamente relacionadas às emissoras, assim como se busca encontrar as marcas que prefiguram a construção de tais narrativas.


Palavras-chave


Telejornalismo; Narrativa; Público-Privado

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2010v8n1p113

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons