Jornalismo e direitos infantis no Brasil e em Portugal: privacidade, estigmatização, e participação de crianças e adolescentes nos jornais O Globo e Público

Lidia Soraya Barreto Marôpo

Resumo


 

A partir da análise de conteúdo de notícias veiculadas nos jornais O Globo (Brasil) e Público (Portugal), discutimos três questões centrais para o debate sobre jornalismo e direitos das crianças: privacidade, estigmatização e participação destas no discurso noticioso. Concluímos que a relação entre os jornais de referência analisados e os direitos da criança representa um paradoxo. Por um lado, os dois periódicos contribuem para uma maior visibilidade pública de temáticas e problemas que afetam diretamente às crianças mas, por outro, chamamos a atenção para a necessidade de evitar que estes mesmos veículos desrespeitem os direitos infantis.


Palavras-chave


Jornalismo; Direitos da criança; Jornalismo de referência

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2011v8n2p471

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons