O paradigma fama/anonimato no jornalismo narrativo

Marcio Serelle, Carlos Henrique Pinheiro

Resumo


 

A ideia central deste artigo é a de que os polos “fama” e “anonimato”, evidenciados na narrativa de Gay Talese, tornaram-se um paradigma para determinado jornalismo narrativo, com ressonâncias na reportagem brasileira contemporânea. Investiga-se, inicialmente, o contexto em que essa abordagem social se consolidou, no Novo Jornalismo, assim como sua potência crítica. A seguir, analisamos esse paradigma nas reportagens dos brasileiros Fred Melo Paiva e Christian Carvalho Cruz, buscando identificar e compreender os principais aspectos de nossa sociedade que são revelados, por esses textos, a partir dessa polarização. Os resultados demonstram a reivindicação pela visibilidade de sujeitos anônimos e excluídos em nossa sociedade e a crítica acerca do modo insuficiente como a mídia dominante narra tanto a vida ordinária como célebre.


Palavras-chave


Fama e Anonimato; Obra de Gay Talese; Jornalismo Narrativo; Reportagem Brasileira Contemporânea; Visibilidade; Celebrização

Texto completo:

artigo


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2016v13n1p68

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons