Jornalismo político em Zero Hora: o enquadramento das fontes sobre o governo Sartori

Autores

  • Rejane de Oliveira Pozobon Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
  • Cristiano Magrini Rodrigues Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-6924.2017v14n2p150

Palavras-chave:

Enquadramento jornalístico, Fontes jornalísticas, Jornal Zero Hora

Resumo

A característica do jornalismo político, estruturado no conflito, leva a crer que a disputa de forças se dá a todo o momento e em todas as instâncias. Esse processo envolve uma complexa rede de interesses que dão à notícia relevante peso político. O presente artigo discute a cobertura política em veículo impresso sob o viés dos estudos de enquadramentos (GAMSON; MODIGLIANI, 1989; GAMSON; LASCH, 1980; VIMIEIRO; MAIA, 2011) e da Análise de Conteúdo (BARDIN, 2011). O texto é um recorte que apresenta os resultados da dissertação “Enquadramentos jornalísticos do Governo Sartori: a seleção das fontes em Zero Hora”. Os aspectos da realidade destacados pelos frames compõem 17 principais pacotes que condensam os enquadramentos de 2015 de modo polarizado, com predominância de enquadramentos de contestação ao governo frente aos de reforço à administração. Em relação às fontes, os dados demonstram a dicotomia entre o governo e os servidores, indicando que a principal disputa política no Estado, naquele ano, foi entre a administração pública e o funcionalismo estadual.

Biografia do Autor

Rejane de Oliveira Pozobon, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Líder do Grupo de Pesquisa em Comunicação e Política UFSM/CNPq. E-mail: rejanepozobon@gmail.com

Cristiano Magrini Rodrigues, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Mestre em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). E-mail: cristiano.magrinirodrigues@gmail.com

Downloads

Publicado

2018-01-18