‘Viúvas do Veneno’: a valorização da subjetividade como indício de rupturas paradigmáticas no jornalismo

Mayara Araújo, Edgard Patrício

Resumo


O artigo analisa a reportagem Abraçado comigo ‘Rodrigue’ dizia: ‘Mãinha’, não me deixe morrer, do especial Viúvas do Veneno, publicado pelo jornal cearense Diário do Nordeste. Pressupondo a valorização da subjetividade como indício integrante de um conjunto de transformações no campo do jornalismo, pontuadas por autores como Charron e Bonville (2016) e Medina (2014), o estudo pretende perceber como a subjetivação se revela no texto e nas práticas discursivas jornalísticas da reportagem selecionada. Para tanto, faz-se uso da Análise do Discurso Crítica, proposta por Fairclough (2001), que apreende os discursos de forma tridimensional: texto, prática discursiva e prática social. A partir da análise, conclui-se que a reportagem utiliza procedimentos textuais e locacionais da informação para orientar a produção jornalística em direção à sua subjetivação, na perspectiva do paradigma do jornalismo de comunicação.


Palavras-chave


Jornalismo; Subjetividade; Transformações

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2018v15n1p73

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons