A rede de checagem da agência Lupa

Kassia Nobre dos Santos

Resumo


As redes sociais enalteceram a cultura participativa da sociedade em assuntos de interesse coletivo, algo positivo porque promoveu a diversidade de vozes e descentralizou o poder da grande mídia como única porta-voz da informação. Ao mesmo tempo, a revolução digital foi a responsável pela pós-verdade e o fenômeno das notícias falsas (fake news). Diante desse cenário, pilares fundamentais da profissão de jornalista – a apuração aprofundada e a checagem – foram resgatados e valorizados a partir da criação de novos modelos de trabalho. O objetivo desta pesquisa é propor uma reflexão sobre os modos de ação dos jornalistas da agência Lupa, procurando compreender os procedimentos por eles utilizados na construção da checagem. Desta forma, a tese defendida é que há um campo de experimentação a ser explorado pelo jornalista para atuar na crise da profissão e retomar a credibilidade perdida.


Palavras-chave


Pós-verdade; Agência Lupa; Fact-checking

Texto completo:

PDF/A

Referências


BUCCI. Eugênio. Pós-política e corrosão da verdade. Revista USP. n. 116, p. 19-30, janeiro/fevereiro/março 2018.

CHRISTOFOLETTI, Rogério; PRADO, Raffael Oliveira do. Erros nos jornais: aspecto ético e fator de comprometimento de qualidade técnica. In: Anais do V Encontro dos Núcleos de Pesquisa da Intercom, Rio de Janeiro, 2005.

GRAVES, Lucas. Deciding what’s true: the rise of political fact-checking in American Journalism.

TARDÁGUILA, Cristina: depoimento [Out. 2016]. Entrevistador Kassia Nobre dos Santos, Rio de Janeiro, 2016. mp3. (49mim).




DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2019v16n2p59

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons