O jornalista: do mito ao mercado

Zélia Leal Adghirni

Resumo


A imagem do jornalista está mudando. O lugar ocupado pelo jornalismo e pelo jornalista ao longo do século XX, como herói, romântico, revolucionário, derrubador de políticos corruptos já não existe. O jornalista já não tem mais os super poderes de Clark Kent. Submetido a rotinas produtivas infernais para alimentar as “turbinas da informação”, mal pago pelo tanto que produz, ele prefere migrar para as assessorias de comunicação públicas ou privadas. Ou então fazer carreira de chefe alinhando-se incondicionalmente às regras da empresa, abrindo mão dos direitos mínimos da legislação trabalhista. Quarto poder, função social ou produtor de sentidos? O que sobrou do jornalista de outrora? A realidade do século XXI é outra. Nem herói nem vilão, os jornalistas, como os guerrilheiros, estão apenas cansados.

Palavras-chave


Jornalistas; Quarto poder; Rotinas; Carreira; Journalists; Fourth power; Routines; Career

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons