Sujeitos suspeitos, imagens suspeitas: as relações entre cultura midiática e cultura de vigilância

Autores

  • Aglair Bernardo UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Resumo

O artigo aborda alguns aspectos das complexas relações estabelecidas entre a cultura midiática e a cultura de vigilância, explorando as aproximações entre as tecnologias de produção e de reprodução de imagem e os dispositivos que empregam a imagem como meio para o controle e monitoramento social, como é o caso das câmeras de vigilância. Parte da perspectiva de que suas aproximações não são apenas de caráter tecnológico, mas também conceitual, ao considerar que ambos os universos compartilham a posição crucial que a imagem desempenha na cultura contemporânea. O artigo aborda, também, a proliferação destes dispositivos em um contexto social onde predominam os discursos sobre a violência urbana, entendendo as imagens como celas imagéticas e aprisionamentos ao ar livre e onde determinados sujeitos sociais são considerados mais suspeitos do que outros, além de explorar questões que dizem respeito ao mito da verdade de imagem.

Biografia do Autor

Aglair Bernardo, UFSC

Professora dos cursos de Jornalismo e de Cinema da UFSC, mestre em Antropologia Social (UFSC) e doutora em Literatura (UFSC).

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Downloads

Publicado

2008-06-16

Edição

Seção

Temas Livres