"Novo" paradigma do jornalismo e imprensa oitocentista no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-6924.2021.e75190

Palavras-chave:

"Novo” paradigma do jornalismo, Imprensa oitocentista, Teorias do Jornalismo

Resumo

Este artigo coloca em discussão o ‘novo’ paradigma do jornalismo, proposta teórica para a imprensa oitocentista, que tende a opor informação e notícia a propaganda e opinião, a partir da análise de “notícias” publicadas no período de 1821 a 1858 pelo Diario do Rio de Janeiro (DRJ), considerado precursor do jornalismo contemporâneo no Brasil. Desta forma, o estudo pretende observar as Teorias do Jornalismo em diacronia e analisar as seções “Noticias Particulares”, “Noticias Maritimas” e “Noticias Diversas” do DRJ, consultadas na Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional. Pela Análise de Conteúdo em fontes documentais, conclui-se que as “notícias” naquele periódico extrapolam os limites teóricos do 'novo' paradigma do jornalismo, já que o DRJ publicava tipos noticiosos diversos, desde venda, troca e aluguel de bens até decisões administrativas, passando pelo resultado eleitoral e, principalmente, divulgando serviços e produtos da sociedade mercantilista luso-brasileira.

Biografia do Autor

Vinícius Brito, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Mestre em Divulgação Científica e Cultural pelo Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo da Unicamp (2019). Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco (2016).

Referências

ASSOCIAÇÃO DOS ARQUIVISTAS BRASILEIROS. Dicionário brasileiro de terminologia arquivística: contribuição para o estabelecimento de uma terminologia arquivística em língua portuguesa. São Paulo: CENEDEM, 1990.

BARBOSA, Marialva. História cultural da imprensa: Brasil, 1800-1900. Rio de Janeiro: Mauad X, 2010.

BARBOSA, Marialva. Uma história da imprensa (e do jornalismo): por entre os caminhos da pesquisa. Intercom - RBCC. São Paulo, v. 41, n. 2, 2018, pp. 21-36.

BARSOTTI, Adriana. Extra! Extra! As origens da primeira página moderna no jornalismo brasileiro. In: XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. 2015, Rio de Janeiro, Anais... Rio de Janeiro: INTERCOM, 2015. Disponível em: http://portalintercom.org.br/anais/nacional2015/resumos/R10-2787-1.pdf. Acesso em: 23 mar. 2020.

BAUER, Martin W. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: BAUER, Martin W., GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Tradução de Pedrinho A. Guareschi. Petrópolis: Vozes, 2008.

BRITO, Vinícius. Espaço urbano pela narratividade dos anúncios de jornal no Brasil oitocentista. RUA, v. 26, n. 1, 17 mar. 2020.

BRASIL, Bruno. Diário do Rio de Janeiro. 2014. Disponível em: https://bndigital.bn.gov.br/artigos/diario-do-rio-de-janeiro. Acesso em: 08 jun. 2020.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida; MORAES, Rubens Borba de. Bibliografia da Impressão Régia do Rio de Janeiro. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo/Kosmos, 1993.

CHALABY, Jean. O Jornalismo como invenção anglo-americana Comparação entre o desenvolvimento do jornalismo francês e anglo-americano (1830-1920). Media & Jornalismo, v. 3, 2003, pp. 29-50.

GUERRA, Josenildo Luiz. O percurso interpretativo na produção da notícia: verdade e relevância como parâmetros de qualidade jornalística. São Cristóvão: Editora UFS; Aracaju: Fundação Oviêdo Teixeira, 2008.

MARTINS, Ana Luiza. Imprensa em tempos de Império. In: MARTINS, Ana Luiza; DE LUCA, Tania Regina (Orgs.). História da imprensa no Brasil. São Paulo: Editora Contexto, 2008.

MASCARENHAS, Nelson Lage. Um jornalista do império (Firmino Rodrigues Silva). São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1961. Disponível em: https://bdor.sibi.ufrj.br/bitstream/doc/357/1/309%20PDF%20-%20OCR%20-%20RED.pdf. Acesso em: 18 nov. 2019.

MOLINA, Matías M. História dos jornais no Brasil: Da era colonial à Regência (1500-1840), 1a ed, São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

MOREL, Marco. Os primeiros passos da palavra impressa. In: MARTINS, Ana Luiza; DE LUCA, Tania Regina (Orgs.). História da imprensa no Brasil. São Paulo: Editora Contexto, 2008.

NERONE, John C. The mythology of the penny press. Critical Studies in Mass Communication, 1987, pp. 376-404.

SÁ-SILVA, Jackson Ronie; ALMEIDA, Cristóvão Domingos de; GUINDANI, Joel Felipe. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História e Ciências Sociais, v. 1, n. 1, 2009.

SCHUDSON, Michael. Descobrindo a notícia: uma história social dos jornais nos Estados Unidos. Petrópolis: Vozes, 2010.

SELLTIZ, Claire; WRIGHTSMAN, Lawrence; COOK, Stuart. Métodos de pesquisa nas relações sociais. 2. ed. Tradução de Dante Moreira Leite. São Paulo: EPU, 1974. pp. 539-560.

SODRÉ, Nelson Werneck. A história da imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1966.

SOUSA, Jorge Pedro. Elementos de jornalismo impresso. Porto, 2001. Disponível em: http://bocc.ufp.pt/pag/sousa-jorge-pedro-elementos-de-jornalismo-impresso.pdf. Acesso em: 09 jun. 2020.

TRAQUINA, Nelson. O estudo do jornalismo no século XX. Editora Unisinos: São Leopoldo, 2001.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo. Porque as notícias são como são. Volume I. Florianópolis: Insular, 2. ed., 2005a.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo. A tribo jornalística - uma comunidade interpretativa transnacional. Volume II. Florianópolis: Insular, 2005b.

Jornais

DIARIO do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ed. 0600001, 1821, p. 1-3.

DIARIO do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ed. 0100001, 1822, p. 2.

DIARIO do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ed. 0100001, 1828, p. 2-3.

DIARIO do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ed. 0100001, 1832, p. 2-3.

DIARIO do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ed. 0100001, 1836, p. 3.

DIARIO do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ed. 00001, 1843, p. 2.

DIARIO do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ed. 07395, 1847, p. 3.

DIARIO do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, ed. 07690, 1848, p. 3.

Downloads

Publicado

2022-01-03