O narrar e o Outro: uma reflexão sobre a alteridade na construção de narrativas jornalísticas

Autores

  • Dayane do Carmo Barretos Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-6924.2021.77095

Palavras-chave:

Narrativas jornalísticas, Alteridade, Sujeitos

Resumo

A relação entre os sujeitos no processo de constituição de narrativas jornalísticas é nossa grande inquietação neste trabalho. A fim de cercá-la, propomos uma problematização a partir de reflexões que compreendem o narrar enquanto ação e as narrativas como relevadoras de processos, tempos e experiências vivenciados entre sujeitos e também no seio social. O Outro nos aparece sempre à espreita, em uma lógica própria da relação entre o Eu e o Outro, da qual as subjetividades são importante parte constituinte. É com o Outro que ocorrem os encontros e as tensões, a partilha e o confronto que estão invariavelmente presentes na prática jornalística, na apuração, na escrita e também no próprio exercício do papel mediador que a narrativa exerce. Assim, pela via da alteri- dade acreditamos ser possível promover uma importante reflexão acerca do ato de narrar no âmbito da atividade jornalística como um todo, possibilitando um olhar ampliado para as questões que dizem respeito aos sujeitos.

Biografia do Autor

Dayane do Carmo Barretos, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda em Comunicação da Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

BUTLER, Judith. Vida precária. Contemporânea – Revista de Sociologia da UFSCar, São Carlos, 1(1), p. 13-33, 2011.

LEAL, Bruno Souza. O jornalismo à luz das narrativas: deslocamentos. In: CAR- VALHO, Carlos Alberto; LEAL, Bruno. Narrativas e poéticas midiáticas: estudos e perspectivas. São Paulo: Intermeios, 2013, p. 25-47.

LEAL, Bruno Souza. Saber das narrativas: narrar. In: GUIMARÃES. César; FRANÇA, Vera (Orgs.). Na mídia na rua: narrativas do cotidiano. Belo Horizonte: Autêntica, 2006, p. 19-27.

LEVINAS, Emmanuel. Entre nós: ensaios sobre a alteridade. Petrópolis: Vozes, 2005. LEVINAS, Emmanuel. Ética e infinito: diálogos com Philippe Nemo. Tradução de João Gama. Lisboa: Ed. 70, 1982.

LEVINAS, Emmanuel. Totalidade e infinito. Tradução de José Pinto Ribeiro. Lis- boa: Edições 70, 2008.

MARTINO, Luís Mauro Sá. De um eu ao outro: narrativa, identidade e comunica- ção com a alteridade. Parágrafo, v. 4, n. 1, p. 40-49. jan/jul 2016.

RESENDE, Fernando. Às desordens e aos sentidos: a narrativa como problema de pesquisa. In: SILVA, Gislene; KÜNSCH, Dimas; BERGER, Christa; ALBUQUER- QUE, Afonso. (Org.). Jornalismo Contemporâneo: figurações, impasses e pers- pectivas. 1.ed. Salvador: Edufba, v. p. 119-138, 2011.

RESENDE, Fernando. O Jornalismo e suas Narrativas: as Brechas do Discurso e as Possibilidades de Encontro. Revista Galáxia, São Paulo, n.18, p. 31-43, 2009.

RESENDE, Fernando. Representação das diferenças no discurso jornalístico. Bra- zilian Journalism Research, v. II, n. 2, p. 206-223, 2014.

RICOEUR, Paul. O si-mesmo como um outro. Trad. Luci Moreira Cesar. Campi- nas: Papirus, 1991.

RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa I. A tríplice Mimese, São Paulo, Papirus, 1994.

SCHWAAB, Reges. Jornalismo, interrupção: sondar, narrar, reconhecer. In: PIC- CININ, Fabiana; SOSTER, Demétrio Azeredo (Orgs). Narrativas comunicacio- nais complexificadas 2: a forma. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2014, p. 32-53.

TODOROV, Tzvetan. A conquista da América: a questão do outro. São Paulo: Martins Fontes, 1983.

Downloads

Publicado

2021-07-05