Quando crianças e adolescentes testemunham: trauma, perda e identidade no jornal A Sirene

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-6924.2021.77172

Palavras-chave:

testemunho, jornalismo, infância e adolescência

Resumo

Nos debruçamos sobre a edição de outubro de 2019 d’A Sirene, produzida em parceria com o programa de extensão Sujeitos de suas histórias, para o Dia das Crianças, analisando três reportagens. A Sirene é um jornal mensal produzido em Mariana (MG) na perspectiva das comunidades atingidas pelo rompimento da Barragem de Fundão. Visionamos o material jornalístico sob a ótica do testemunho em diálogo com o jornalismo e em interseção com os estudos da infância, para compreender como se materializa o teor testemunhal, a partir de uma análise textual, compreendendo como tal não apenas o texto escrito, mas também as imagens. Os relatos evidenciam que, para as crianças e adolescentes de Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo protagonistas das reportagens, o trauma se desdobra como estilhaçamento temporal, perda espacial e destruição de um modo de vida. Além disso, a edição ao mesmo tempo dá protagonismo a crianças e adolescentes e tira as identidades de foco, no que diz respeito a imagens e autorias.

Biografia do Autor

Karina Gomes Barbosa, Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop)

Professora adjunta do curso de Jornalismo e do programa de pós-graduação em Comunicação da Ufop. Coordenadora do programa de extensão Sujeitos de suas histórias.

André Luís Carvalho, Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop)

Professor adjunto do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop). Doutorando em Teoria e Crítica Literária da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

A SIRENE. Editorial. A Sirene. Mariana, p. 16. 5 out. 2019. Disponível em: https:// issuu.com/jornalasirene/docs/edi__o_42_-_outubro__issuu_. Acesso em: 10 set. 2020.

AGENCIA Global de Noticias. Manual de niñez y periodismo. Un aporte para el trabajo periodístico comprometido. Assunção: Agencia Global de Noticias, 2008.

ANDI. Castigos físicos e humilhantes: guia de referência para a cobertura jorna- lística. Brasília: ANDI/Red ANDI América Latina/Save the Children, 2015.

BRASIL. Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federati- va do Brasil, Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/LEIS/L8069.htm. Acesso em: 07 set. 2020.

BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente: um guia para jornalistas. Brasília: Rede Andi, 2011.

BUCKINGHAM, D. Crescer na era das mídias eletrônicas. São Paulo: Loyola, 2007.

CAMPOS, J. O.; MAFRA, R. L. M. Rural híbrido em sofrimento: mineiridade, mi- neração e trauma no Jornal A Sirene. Ação Midiática – Estudos em Comunicação, Sociedade e Cultura, [s.l.], p. 55-83, jul. 2020. Disponível em: https://revistas.ufpr. br/acaomidiatica/article/view/66821. Acesso em: 10 sep. 2020.

CERTEAU, M. de. Invenção do cotidiano: artes de fazer. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

CNN. ‘YOU have to watch, you have to bear witness’. Direção de Riad Al Hussein. Aleppo: CNN, 2017. 1 vídeo digital (99 seg.), digital, son., color. Disponível em: https://edition.cnn.com/videos/world/2017/05/09/syria-chemical-attack-clarissa- -ward-reflection-sdg-orig.cnn. Acesso em: 04 set. 2020.

FELMAN, S. Educação e crise, ou as vicissitudes do ensino. In: NESTROVSKI, A.; SELIGMANN-SILVA, M. (Orgs.). Catástrofe e representação: ensaios. São Paulo: Escuta, 2000.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 1975.

GOMES BARBOSA, K. As sirenes nunca tocam; A SIRENE ainda ecoa. A Sirene. Mariana, p. 5-5. 5 fev. 2019. Disponível em: https://issuu.com/jornalasirene/docs/ fevereiro_2019_issuuuuu. Acesso em: 10 set. 2020.

GOMES BARBOSA, K.; CARVALHO, A. L. Testemunho, trauma e imagens de catástrofes socio-ambientais da mineração brasileira em Vozes de Mariana e Vozes de Brumadinho. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES EM JOR- NALISMO, 18, 2020, Fortaleza. Anais... Brasília: SBPJor, 2020. p. 1-18. Disponí- vel em: http://sbpjor.org.br/congresso/index.php/sbpjor/sbpjor2020/paper/viewFi- le/2605/1403. Acesso em: 01 jan. 2021.

HARTMAN, G. Holocausto, testemunho, arte e trauma. In: NESTROVSKI, A.; SELIGMANN- SILVA, M. (Orgs.). Catástrofe e representação: ensaios. São Paulo: Escuta, 2000.

HELLER, A. O cotidiano e a história. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

HOOKS, b. Ensinando pensamento crítico: sabedoria prática. São Paulo: Elefante, 2020.

KOSSOY, B. Realidades e ficções na trama fotográfica. São Paulo: Ateliê Editorial, 2000.

MACHADO, A. A ilusão especular: uma teoria da fotografia. São Paulo: Gustavo Gili, 2015.

PEIXOTO, A. Era uma vez. A Sirene. Mariana, p. 10. 5 dez. 2016. Disponível em: https://issuu.com/jornalasirene/docs/jornal_a_sirene_ed_9_dezembro_issuu. Acesso em: 8 set. 2020.

RICOEUR, P. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

SELIGMANN-SILVA, M. Narrar o trauma – a questão dos testemunhos de catás- trofes históricas. Psicologia Clínica, Rio de Janeiro. v. 20, n. 1, p. 65-82, 2008.

SILVA, E.; MARCELINO, J. G. As férias não são mais as mesmas. A Sirene. Ma- riana, p. 5-5. 5 jan. 2020. Disponível em: https://issuu.com/jornalasirene/docs/ edi__o_45_-_janeiro_2020_issuu. Acesso em: 9 set. 2020.

WISNIK, J. M. Maquinação do mundo – Drummond e a mineração. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

Downloads

Publicado

2021-07-05