Trabalho socioeducativo no Serviço Social à luz de Gramsci: o intelectual orgânico

Autores

  • Adriana Giaqueto Jacinto Universidade Estadual Paulista (UNESP)

DOI:

https://doi.org/10.1590/1414-49802017.00100009

Palavras-chave:

Intelectual orgânico, Gramsci, Serviço Social, Dimensão educativa

Resumo

Este ensaio aborda a contribuição do pensamento de Gramsci para o Serviço Social tendo como referência a apreensão das relações entre política e cultura, com ênfase na dimensão educativa do trabalho do assistente social. O questionamento central é, se o(a) assistente social, enquanto profissional que trabalha com a classe expropriada de seus direitos fundamentais, pode assumir o papel de intelectual orgânico, na concepção gramsciana. Parte da história de vida e obra de Gramsci para situar o conceito de intelectual orgânico e sua relação com outros conteúdos imbricados na temática da política e cultura, refletindo sobre a ampliação do entendimento de prática pedagógica, apreendendo-a no amplo processo de lutas de classes, vinculado à questão da hegemonia.

Biografia do Autor

Adriana Giaqueto Jacinto, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Professora Doutora do Departamento de Serviço Social, na graduação e pós-graduação, da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da UNESP – Campus Franca/SP – Brasil. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Dimensão Educativa no Trabalho Social (GEDUCAS) e vice-líder do Grupo de Estudos e Pesquisa em Formação Profissional em Serviço Social (GEFORMSS). Tem experiência como profissional e pesquisadora na área de Serviço Social, com ênfase nos temas: Serviço Social e dimensão educativa; trabalho e formação profissional em Serviço Social; política de assistência social; política de atenção à criança e ao adolescente.

 

Downloads

Publicado

2017-03-17

Edição

Seção

Espaço temático