Questões para o trabalho profissional do Assistente Social no processo transexualizador

Pablo Cardozo Rocon, Francis Sodré, Marco José de Oliveira Duarte

Resumo


Reflete-se as possibilidades ao trabalho profissional dos(as) assistentes sociais no processo transexualizador brasileiro a partir de uma pesquisa documental em resoluções e dispositivos ético-políticos produzidos pelo Serviço Social brasileiro. Aponta-se a defesa do nome social, a luta contra trans-travestifobia, o trabalho com as famílias, com as redes sócioassistenciais e a construção da consciência sanitária, como rico campo para intervenção profissional nesse programa. Conclui-se que apesar de não haver uma nota técnica que norteie o trabalho profissional nesse programa, as orientações para o trabalho profissional junto à população trans no Sistema Único de Saúde encontram-se no conjunto do Projeto Ético-Político Profissional.


Palavras-chave


Transexualidade; Gênero; Sexualidade; Trabalho profissional; Serviço Social

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.1590/1982-02592018v21n3p523

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.