Direitos e seguridade social em tempos neoliberais: contradições e desafios feministas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02592020v23n2p309

Palavras-chave:

Divisão sexual do trabalho, Seguridade social, Tempos neoliberais, Desafios feministas

Resumo

As políticas de ajustes neoliberais no Brasil avançam sobre a Seguridade Social porque tem um pressuposto: a exploração do tempo, dos corpos e do trabalho das mulheres das classes subalternas. Desta compreensão, este artigo tem como objetivo refletir sobre os desafios feministas quanto à direção das lutas em torno da proteção social para as mulheres numa conjuntura em que se acirram as políticas neoliberais e o desmonte da Seguridade Social. A partir de ampla revisão bibliográfica e análise de documentos no doutorado, que versaram sobre as contradições em torno da conquista à aposentadoria para as donas de casa de baixa renda nos governos do PT, argumenta-se que as lutas feministas por direitos não podem prescindir de uma compreensão analítica sobre os mecanismos estruturais e conjunturais que aprisionam, discriminam, exploram e oprimem as mulheres, dentre os quais: a divisão sexual do trabalho.

Biografia do Autor

Laudicena Barreto, Universidade Federal de Pernambuco, Departamento de Serviço Social, Recife, PE, Brasil.

Assistente Social, Professora Assistente A (Dedicação Exclusiva) do Departamento de Serviço Social da UFPE desde 2013. Doutora e Mestra em Serviço Social pelo Programa de Pós-graduação em Serviço Social - UFPE. Especialista em Políticas Públicas e Gestão de Serviços Sociais pela UFPE e Direitos Humanos pela UCB. Atuação, pesquisas e estudos na área de Estado, Seguridade Social, Proteção Social , Direitos Humanos e Gênero.

Referências

ÁVILA, Mª Betânia e FERREIRA, Verônica (orgs). Trabalho remunerado e trabalho doméstico no cotidiano das mulheres. SOS Corpo; Instituto Feminista para a Democracia. Recife, 2014;

BOSCHETTI, I. Assistência Social e Trabalho no Capitalismo. São Paulo, Cortez, 2016;

CISNE, Mirla. Feminismo e consciência de classe no Brasil. São Paulo, Cortez, 2014;

DUQUE-ARRAZOLA, L. O lugar das mulheres nas políticas de Assistência Social: um estudo sobre a experiência do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil em Pernambuco. UFPE/CCSA, Departamento de Serviço Social. Recife, 2004 [Tese de Doutorado];

FERREIRA, V. M. Apropriação do tempo de trabalho das mulheres nas políticas de saúde e reprodução social: uma análise de suas tendências. UFPE/CCSA, Departamento de Serviço Social. Recife, 2017 [Tese de Doutorado]

MOTA, A. E. Cultura da Crise e seguridade social: um estudo sobre as tendências da previdência e da assistência social brasileira nos anos 80 e 90. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2008.

Downloads

Publicado

2020-05-15