Financiamento à ciência no Brasil: distribuição entre as grandes áreas do conhecimento

Autores

  • Daniella Borges Ribeiro Universidade Federal de Viçosa, Curso de Serviço Social, Viçosa, Minas Gerais, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-9264-7618
  • Edineia Figueira dos Anjos Oliveira Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil.
  • Mirian Cátia Vieira Basílio Denadai Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil.
  • Maria Lúcia Teixeira Garcia Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02592020v23n3p548

Palavras-chave:

Ciência, CNPq, Financiamento

Resumo

Este artigo analisa a direção dada às pesquisas científicas aprovadas pelo CNPq entre os anos de 2011 e 2014, identificando a relação entre o público e o privado e a destinação de recursos financeiros para as grandes áreas do conhecimento. Trata-se de uma pesquisa documental baseada em dados coletados do sistema eletrônico do CNPq, de abordagem quali quantitativa. Os dados demonstraram o progressivo direcionamento de recursos públicos para o financiamento de pesquisas em instituições privadas, bem como a desigual distribuição entre as áreas e grandes áreas de conhecimento.

Biografia do Autor

Daniella Borges Ribeiro, Universidade Federal de Viçosa, Curso de Serviço Social, Viçosa, Minas Gerais, Brasil.

Possui graduação em Serviço Social, mestrado e doutorado em Política Social pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Professora do curso de Serviço Social da Universidade Federal de Viçosa (UFV). Possui experiência em assuntos relacionados as Políticas Públicas, com destaque para a Política Social. Tem como principais temas de estudo: política de educação; ciência, tecnologia e inovação; produção de conhecimentos; pós-graduação; formação profissional e estágio em Serviço Social; gênero; violência contra a mulher; saúde mental.

Edineia Figueira dos Anjos Oliveira, Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil.

Pós-doutoranda em Política Social pela Universidade Federal do Espírito Santo (bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo - 2018 a 2021). Doutorado em Política Social pela Universidade Federal do Espírito Santo (2017). Possui mestrado em Política Social pela Universidade Federal do Espírito Santo (2009), com pesquisa financiada pelo CNPq e graduação em SERVIÇO SOCIAL pela Universidade Federal do Espírito Santo (2001). Possui especialização em Gestão da Clínica (2010) e na Atenção Primária à Saúde (2011). Atuou como secretária municipal de saúde no município de Alfredo Chaves. Atua como colaboradora no Programa de Política Social da Universidade Federal do Espírito Santo e participa do grupo de pesquisa FENIX, debatendo política de saúde e saúde mental.

Mirian Cátia Vieira Basílio Denadai, Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil.

Professora do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal do Espírito Santo. Possui graduação em Serviço Social (2004) e mestrado em Política Social pela Universidade Federal do Espírito Santo (2008). Doutorado em Serviço Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2015). É membro do Núcleo de Estudos Fênix cadastrado no CNPq - com ênfase nas pesquisas sobre análise de políticas públicas, políticas de saúde, saúde mental e drogas. Tem experiência em docência em ensino superior na área de Serviço Social, com ênfase na área Fundamentos do Serviço Social e Pesquisa em Serviço Social. Desenvolve estudos na área de Saúde Mental, com enfoque na temática Política de Drogas.

Maria Lúcia Teixeira Garcia, Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil.

Possui graduação em Serviço Social pela Universidade Federal do Espírito Santo (1982), graduação em História pela Universidade Federal do Espírito Santo (1989), mestrado em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (1995) e doutorado em Psicologia Social pela Universidade de São Paulo (2001). Atualmente é professor titular da Universidade Federal do Espírito Santo. Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase em Política Social, atuando principalmente nos seguintes temas: politica social, política pública, política social, política de saude e alcoolismo. Foi coordenadora da área de Serviço Social na Capes, compondo o Conselho Técnico Científico do Ensino Superior entre 2014 e 2018, sendo membro suplente do CTC-ES. Atualmente é coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Política Social da Ufes.

Referências

BARROS, E. M. C. de. Política de Pós-Graduação no Brasil (1975/1990): um estudo da participação da comunidade científica. São Carlos: EdUFSCar, 1998.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Emenda constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc95.htm. Acesso em: 17 fev. 2020.

BRASIL. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Investimentos do CNPq em CT&I. Brasília, 2015. Disponível em: http://fomentonacional.cnpq.br/dmfomento/home/fmthome.jsp? Acesso em: 01 out. 2015.

BRASIL. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). História do CNPq. Brasília, 2015a. Disponível em: http://centrodememoria.cnpq.br/Missao2.html. Acesso em: 17 jun. 2015.

BRASIL. Decreto nº 56.122, de 27 de abril de 1965. Aprova o Regulamento do Conselho Nacional de Pesquisas. Brasília, DF:

Presidência da República, 1965. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1960-1969/decreto-56122-27-abril-1965-

-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 17 fev. 2020.

BRASIL. Lei nº 10.973, de 2 de dezembro de 2004. Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l10.973.htm. Acesso em: 17 fev. 2020.

BRASIL. Lei nº 6.129 de 6 de novembro de 1974. Dispõe sobre a transformação do Conselho Nacional de Pesquisas em Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq) e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da Republica, 1974. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1970-1979/L6129.htm. Acesso em: 17 fev. 2020.

BRASIL. Ministério da Ciência e Tecnologia. Centro de Gestão e Estudos Estratégicos. Livro Azul da 4ª Conferência Nacional de Ciência e Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Sustentável. Brasília, 2010. Disponível em: http://www.mct.gov.br/upd_blob/0221/221783.pdf. Acesso em: 08 out. 2015.

BUENO, A. P. A Universidade e os projetos para o país. Revista Caros Amigos, São Paulo, ano 18, n. 70, p. 23-24, 2014.

CHAUÍ, M. Escritos sobre Universidade. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

CURY, C. R. J. Quadragésimo Ano do Parecer CFE n. 977/65. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 30, p. 07-20, 2005.

LIMA, K. R. de S. Contra-reforma na Educação Superior: de FHC a Lula. São Paulo: Xamã, 2007.

NEVES, L. M. W. A Reforma Universitária do governo Lula transforma a universidade em um negócio. Jornal da Associação dos Docentes da UFF, Niterói, p. 7 - 8, 1 ago. 2004.

OLIVEIRA, A. de. Política Científica no Brasil: análise das políticas de fomento à pesquisa do CNPq. 2003. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

RIBEIRO, D. B. A Crise do Capital e seus Rebatimentos para a Produção de Conhecimentos. Revista Textos & Contextos, Porto Alegre,v. 14, p. 314-326, 2015.

SAYURI, J. Os problemas da pós-graduação no Brasil e a importância da ciência. Nexo Jornal, 2019. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/reportagem/2019/04/21/Os-problemas-da-pós-graduação-no-Brasil.-E-a-importância-da-ciência. Acesso em: 17 fev. 2020.

SOCIEDADE Brasileira de Progresso para a ciência pede fim da EC 95 a candidatos. SBPC na Mídia, 2018. Disponível em: http://portal.sbpcnet.org.br/noticias/sociedade-brasileira-de-progresso-para-a-ciencia-pede-fim-da-ec-95-a-candidatos/. Acesso em: 17 fev. 2020.

Downloads

Publicado

2020-10-05