A democracia brasileira e seus inimigos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-0259.2021.e73472

Palavras-chave:

Democracia Inercial, Hardball, Autoritarismo, Populismo

Resumo

O objetivo central deste artigo é demonstrar que a democracia inercial no Brasil tem buscado resolver seus impasses valendo-se do uso do hardball na política, uma espécie de aplicação radical da lei, à revelia das instituições democráticas, num contexto de judicialização da política e ascensão do populismo. O autoritarismo tem-se revestido de outras formas de atuação neste início de século. O trabalho aponta de forma preliminar para dois exemplos de hardball recentes: o uso de pedidos de impeachments na política brasileira para defenestrar os adversários políticos (pelo Legislativo), com êxito em contextos de crise econômica, e o protagonismo da Lava Jato (pelo Judiciário), no combate à corrupção num contexto crescente de insatisfação com a democracia e suas instituições. Para tanto, utilizamos, como base empírica deste trabalho, os bancos de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Datafolha e Pesquisa Mundial de Valores (WVS).

Biografia do Autor

Everton Rodrigo Santos

Doutor em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS)

Professor do Programa de Pós-Graduação em Diversidade Cultural e Inclusão Social da Universidade Feevale

 

Henrique Carlos de O. Castro

Doutor em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS)

Professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS)

Fabio Hoffmann

Mestre em Ciência Política pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

Referências

BAQUERO, M. Democracia Inercial. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2018.

BARBOZA, E. M. de Q.; KOZICKI, K. Judicialização da Política e Controle Judicial de Políticas Públicas. Revista de Direito GV, São Paulo, n. 8, p. 59-86, jan./jun. 2012.

BERTHOLINI, F; PEREIRA, C. Pagando o preço de governar: custos de gerência de coalizão no presidencialismo brasileiro. Revista de Administração Pública FGV, Rio de Janeiro, n. 4, v. 51, p. 528-550, 2017.

BITTENCOURT, M. A. “Nostalgia da Ditadura” e as eleições de 2018 no Brasil: uma proposta de explicação. 2020. 50f. Dissertação (Mestrado em Cultura Política) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2020.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 26 abr. 2019.

BRASIL. Lei nº 12.403, de 4 de maio de 2011. Altera dispositivos do Decreto-Lei nº 3.689, de 3 de outubro de 1941 - Código de Processo Penal, relativos à prisão processual, fiança, liberdade provisória, demais medidas cautelares, e dá outras providências. Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, DF, 4 maio 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Lei/L12403.htm. Acesso em: 26 abr. 2019.

CASTELLS, M. O poder da comunicação. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

CASTELLS, M. Ruptura: a crise da Democracia Liberal. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

CASTRO, H. C. O. Cultura política comparada: democracia e mudanças econômicas: Brasil, Argentina e Chile. Brasília: Verbena, 2014.

CASTRO, H. C. O. A democracia em cheque: um estudo de Cultura Política entre porto-alegrenses. 1996. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) − Programa de Pós-Graduação em Ciência Política, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1996.

CASTRO, H. C. O. Democracy versus people: do changing values challenge Democracy? In: CONGRESSO ANUAL DA WAPOR, 72., 2019, Toronto. Anais […]. Porto Alegre: UFRGS, 2019.

CASTRO, H. C. de O. de; RANINCHESKI, S.; CAPISTRANO, D. World Values Survey Brazil - Round Seven. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2018. (Data under embargo for disclosure according to the rules of the World Values Survey Association.). Disponível em: http://www.worldvaluessurvey.org/wvs.jsp. Acesso em: 18 jul. 2019.

CATTERBERG, G.; MORENO, A. The individual bases of political trust: trends in new and established democracies. International Journal of Public Opinion Research, Oxfordshire, v. 18, n. 1, p. 31-48, out. 2005. Disponível em: https://academic.oup.com/ijpor/article/18/1/31/797103. Acesso em: 26 abr. 2019.

CIFUENTES, P. Investigação na Petrobras começou com um estranho presente de luxo. Brasil El Pais, 2014. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2014/12/01/politica/1417472349_354451.html. Acesso em: 26 abr. 2019.

INGLEHART, R. et al. World Values Survey: all rounds. Madrid: JD Systems Institute, 2014. Disponível em: http://www.worldvaluessurvey.org/WVSDocumentationWVL.jsp. Acesso em: 26 abr. 2019.

INGLEHART, R. F.; NORRIS, P. Trump, Brexit, and the rise of populism: economic have-nots and cultural Backlash. Harvard Kennedy School: Cambridge, ago. 2016. Disponível em: https://www.hks.harvard.edu/publications/trump-brexit-and-rise-populism-economic-have-nots-and-cultural-backlash. Acesso em: 26 abr. 2019.

LEVITSKY, S.; ZIBLATT, D. Como as democracias morrem. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

LIPSET, S. M. O Homem Político. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

MARX, K. A Ideologia Alemã. (Feuerbach). São Paulo: Hucitec, 1986.

MARX, Karl. O 18 de Brumário de Luís Bonaparte. São Paulo: Boitempo, 2011.

MOISÉS, J. A.; MENEGUELLO, R. A Desconfiança política e os seus impactos na qualidade da democracia. São Paulo: Ed. da USP, 2013.

OLIVEIRA, M. Gilmar Mendes suspende nomeação de Lula como ministro da Casa Civil. G1 Globo, Brasília, 18 mar. 2016. Disponível em: http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/03/gilmar-mendes-suspende-nomeacao-de-lula-como-ministro-da-casa-civil.html. Acesso em: 26 abr. 2019.

PIKETTY, T. O Capital no Século XXI. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013.

SANTOS, E. R. Poder e Dominação no Brasil: a Escola Superior de Guerra. Porto Alegre: Sulina; Feevale. 2010.

SINGER, A. O Lulismo em Crise: um quebra cabeça do período Dilma (2011-2016). São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

VIANNA, L. W. et al. A Judicialização da Política e das Relações Sociais no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 2014.

Downloads

Publicado

2021-04-09