Uma perspectiva latino-americana para as políticas sociais: quão distante está o horizonte?

Beatriz Augusto de Paiva, Nildo Domingos Ouriques

Resumo


Este artigo propõe-se a analisar as políticas sociais na América Latina em suas determinações fundamentais operadas pela ordem capitalista, a partir, porém, de um ângulo original: o que reconhece a dependência como principal contradição determinante dos problemas da região para decifrar as determinações fundamentais das políticas sociais e sua viabilidade histórica no contexto dos arranjos político institucionais contemporâneos na América Latina, o referencial teórico-metodológico de análise deriva diretamente do pensamento de Marx. Nessa medida, a reflexão marxiana e o pensamento social latino-americano caminharam juntos com um amplo movimento político de índole e conteúdo libertários, que encontrou nas formulações sobre a teoria da dependência seu momento de maior conexão em termos de práxis política. O caráter crítico desse pensamento e sua vinculação com o marxismo foram fundamentais para consolidá-lo como uma das melhores tradições críticas para interpretar e, o que é mais importante, transformar a realidade latino-americana.


Palavras-chave


América Latina; Políticas sociais; Teoria Marxista da dependência; Latin América; Social policies; Marxist theory of dependency

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-49802006000200004

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.