A Geografia escolar no Ensino Fundamental em uma escola pública estadual catarinense: oberservações sobre o papel do professor

Autores

Palavras-chave:

Geografia escolar, escola pública estadual, Escola pública estadual, Sala de aula., Plano de Aula, Santo Amaro da Imperatriz

Resumo

Este artigo relaciona a teoria com a prática do professor na Geografia escolar no Ensino Fundamental II em uma escola pública estadual, localizada em Santo Amaro da Imperatriz, na Região Metropolitana da Grande Florianópolis. Entre os meses de março a agosto de 2018, foram realizadas observações presenciais e o estágio de ensino. O artigo pretende subsidiar a percepção sobre as condições de trabalho do professor, algumas proposições didático-pedagógicas e de que maneira os alunos se apropriam dos conteúdos de geografia. A pesquisa é de caráter qualitativo, através do levantamento das bases bibliográficas e do registro de acontecimentos presenciados no ambiente escolar em estudo. Entende-se a importância da inclusão de objetos de aprendizagem (artesanais ou digitais) nos planos de aula de geografia, constatando pouco apoio metodológico na “Salaweb” por parte da Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina (SED/SC).

Biografia do Autor

Karina Martins da Cruz, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

 Doutoranda em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC); Mestre e Licenciada em Geografia.

Isa de Oliveira Rocha, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Doutora em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP), professora associada do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental (PPGPLAN) e coordenadora do Laboratório de Planejamento Urbano e Regional (LABPLAN) do Centro de Ciências Humanas e da Educação (FAED) da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). E-mail: isa.rocha@udesc.br 

Referências

ALMEIDA, Rosângela D. de. O espaço geográfico: ensino e representação. São Paulo/SP: Contexto, 1989.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Estimativa da População 2019. Santo Amaro da Imperatriz. Disponível em: file:///C:/Users/User/Downloads/estimativa_dou_2019.pdf Acesso em: 29 mai 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Sinopse do Censo Demográfico 2010. Santa Catarina. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index.php?uf=42&dados=8 Acesso em: 29 mai 2020.

LIMA, Lauro de O. Para que servem as escolas? Petrópolis/RJ: Vozes, 1996.

MAGALHÃES, Cláudia. SOURIENT, Lilian. GONÇALVES, Marcos. RUDEK, Roseni. Geografia 6. Projeto Apoema. São Paulo/SP: Editora do Brasil, 2017.

BRABANT, Jean-Michel. Crise da geografia, crise da escola. In: OLIVEIRA, Ariovaldo U. de (org). Para onde vai o ensino de geografia? São Paulo/SP: Contexto, 1989, p.15-23.

PEREIRA, Raquel M F do A. Da geografia que se ensina à gênese da geografia moderna. 3.ed. Florianópolis/SC: Editora da UFSC, 1999.

RODRIGUES, Claudina I. COSTA, Sueli I. R. As aventuras do Geodetetive. GPS. Episódio 6. Projeto m3. Matemática Multimídia. Campinas/SP, Unicamp, 201[-]: 10min.

SANTA CATARINA. Secretaria de Estado da Educação. Salaweb. Disponivel em: https://salaweb.sed.sc.gov.br/busca?q=*&oda_type=class_plan Acesso em: 30 mai 2020.

SANTOS, Milton. Por uma Geografia Nova: Da crítica da geografia a uma geografia crítica. 6.ed. São Paulo/SP: Edusp, 2012.

STEFANELLO, Ana C. Didática e Avaliação da Aprendizagem no Ensino de Geografia. Curitiba/PR: Intersaberes, 2012.

Downloads

Publicado

2020-12-07