Da inteligência parcial ao pensamento completo: desafios da ciência e da sociedade contemporânea

Autores

  • Maria Cecília de Souza Minayo Fundação Oswaldo Cruz - CLAVES

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7984.2011v10n19p41

Palavras-chave:

Interdisciplinaridade, Transdisciplinaridade, Teorias complexas

Resumo

Este artigo apresenta uma discussão sobre várias noções teóricas e metodológicas que hoje fazem parte do vocabulário do mundo das ciências e das práticas profissionais como: multidisciplinaridade, multiprofissionalidade, interdisciplinaridade, transdisciplinaridade e pensamento complexo. Embora todos esses termos sejam tratados no texto, mesmo que brevemente, o artigo aprofunda a contribuição das teorias da complexidade, a partir de seus pensadores mais renomados: Ludwig von Bertalanffy, Henri Atlan, Ilya Prigogine e Edgard Morin. Entende-se que qualquer esforço de interação entre ciências e práticas é bem vindo para ampliar e aprofundar o conhecimento dos objetos. No entanto, essa interação precisa ser cada vez mais iluminada por conceitos das teorias complexas que apontam um futuro diferente para todas as áreas das ciências, frente a questões como incerteza, ruídos e crises que abrem possibilidades de escolhas e questionam as características principais das ciências tradicionais como regularidades, previsibilidade e verdades estabelecidas.

Biografia do Autor

Maria Cecília de Souza Minayo, Fundação Oswaldo Cruz - CLAVES

Doutora em Saúde Pública. Pesquisadora Titular da Fundação Oswaldo Cruz. Coordenadora científica do Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli (CLAVES), Rio de Janeiro. Endereço eletrônico: Cecília@claves.fiocruz.br

Downloads

Publicado

2011-10-29

Edição

Seção

Dossiê Temático