(Des)confiança nas instituições e partidos políticos na constituição de uma democracia inercial no Brasil: o caso das eleições de 2014

Marcello Baquero, Henrique C. de Castro, Sônia M. Ranincheski

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar as assimetrias produzidas por uma democracia inercial (incongruência entre os aspectos institucionais-formais e as dimensões informais da sociedade) e seu impacto no comportamento político eleitoral dos brasileiros durante as eleições presidenciais de 2014. Para tanto, analisamos o papel da confiança na constituição da cultura política no país; a deslegitimação das instituições políticas, principalmente dos partidos políticos; o processo eleitoral de 2014, com o enfoque de cultura política e do desgaste das instituições e; por fim examinamos dados da Pesquisa Mundial de Valores (World Values Survey) com vistas a verificar se houve mudanças em aspectos da cultura política do brasileiro em função do debate do processo eleitoral. A conclusão é que houve mudanças em sentido negativo em importantes aspectos da cultura política do brasileiro reforçando a hipótese de que há a existência de uma democracia inercial no Brasil.


Palavras-chave


Democracia inercial; eleições; confiança política; cultura política; Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7984.2016v15n32p9

Direitos autorais 2016 Política & Sociedade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Visite nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/revistapoliticaesociedade/

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Revista Política & Sociedade - ISSNe 2175-7984
Florianópolis - SC - Brasil

CNPq CAPES