“Eu e meus amigos”: capital social, estilos de vida e trajetórias educacionais

Eduardo Vilar Bonaldi

Resumo


Este texto busca adensar e especificar a dimensão analítica aberta pela noção de “capital social” na reconstituição de trajetórias educacionais de jovens de camadas populares urbanas. Apoiando-se tanto em estudos da literatura nacional sobre a temática, quanto em algumas referências internacionais contemporâneas, o texto busca evidenciar não somente a relevância de redes de relação que operam a difusão de fluxos informacionais sobre instituições, carreiras e modos de seleção para o ensino superior (fato que tende a reduzir a distância social e cultural entre jovens do meio popular e o ensino superior), como também o fato, apontado pela literatura internacional, de que tais redes podem se afigurar como suportes relacionais para a conformação de estilos de vida que simbolizam e expressam disposições ao alongamento da trajetória educacional entre jovens do meio popular.


Palavras-chave


Sociologia da educação; Jovens de camadas populares; Acesso ao ensino superior; Capital social

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALMEIDA, A. M. F.; ERNICA, M. Inclusão e segmentação social no Ensino Superior público

no Estado de São Paulo (1990-2012). Educação e sociedade, Campinas, v. 36, p. 63-83, 2015.

BOURDIEU, P. Les trois états du capital culturel. Actes de la recherche en sciences sociales,

v. 30, n. 1, p. 3-6, 1979.

______. La Noblesse d’Etat: grandes écoles et esprit de corps. Paris: Les Éditions de Minuit,

______. Espaço Social e Espaço Simbólico. In: ______. Razões Práticas: sobre a teoria da

ação. 9. ed. Campinas: Papirus, 1996. p. 14-28.

_____. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA,

M. A.; CATANI, A. (Org.). Escritos de Educação. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2010. p. 39-65.

______.; WACQUANT, L. An Invitation to Reflexive Sociology. Cambridge: Polity Press,

COMIN, A.; BARBOSA, R. J. Trabalhar para estudar: sobre a pertinência da noção de

transição escola-trabalho no Brasil. Novos Estudos, n. 91, p. 75-95, 2011.

COSTA, M. Famílias e acesso diferenciado a escolas públicas prestigiadas: um estudo de caso

Educação em Revista, v. 26, n. 2, p. 227-247, 2010.

COSTA, M.; KOSLINSKI, M. Quase-mercado oculto: disputa por escolas “comuns” no Rio

de Janeiro. Cadernos de Pesquisa, v. 41, n. 142, p. 246-266, 2011.

FERES JR., J.; DAFLON, V.; CAMPOS, L. A. A ação afirmativa no ensino superior

brasileiro (GEMAA). Rio de Janeiro: IESP-UERJ, 2011.

GUIMARÃES, A. S. A. Brasil, (1996-2012): Anotacões para uma sociologia politica da adoção

de cotas no ensino superior publico. Comunicação apresentada nº 546. AFR Panel. Quotas

in Brazilian universities: history and current Challenges. Latin American Studies Association,

Washington, 2013.

HOLLAND, J. Young People and Social Capital: What Can It Do For Us? Families & Social

Capital Research Group Working. 2008. Disponível em:

assets/pdf_file/0005/9437/young-people-social-capital-families-research-working-paper.pdf>.

Acesso em: 18 set. 2014.

______.; REYNOLDS, T.; WELLER, S. Transitions, networks and communities: the

significance of social capital in the lives of children and young people. Journal of Youth

Studies, v. 10, n. 1, p. 97-116, 2007.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Síntese de indicadores

sociais: Uma análise das condições de vida da população brasileira . Rio de Janeiro:

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico do

IBGE. 2010.

LIMA, M. As novas políticas de inclusão escolar e as famílias: o caso dos beneficiários do

Prouni na Região Metropolitana de São Paulo. In: NOGUEIRA, M. A.; ROMANELLI, G.;

ZAGO, N. (Org.). Família e escola: novas perspectivas de análise. São Paulo: Vozes, 2013.

v. 1. p. 312-333.

MESQUITA, Wilson A. Ampliação do acesso ao ensino superior privado lucrativo

brasileiro: um estudo sociológico com bolsistas do Prouni na cidade de São Paulo. 2012. 294

f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade

de São Paulo, São Paulo, 2012.

NOGUEIRA, C. M. M. et al. Promessas e Limites: O SISU e sua implantação na Universidade

Federal de Minas Gerais. Educação em Revista, v. 33, p. 1-31, 2017.

PEROSA, G. S.; COSTA, T. Uma democratização relativa? Um estudo sobre o caso da

expansão da Unifesp. Educação e sociedade, Campinas, v. 36, p. 117-137, 2015.

PEROSA, G. S., KERCHES, C.; LEBARON, F. O espaço das desigualdades educativas em

São Paulo. Pro-posições, v. 27, n. 2, p. 99-118, 2015.

PUTNAM, R. Bowling Alone: America’s Declining Social Capital. Journal of Democracy,

v. 6, n. 1, p. 65-78, jan. 1995.

______. Bowling Alone: The Collapse and Revival of American Community. Nova Iorque:

Simon & Schuster, 2000.

RAFFO, C; REEVES, M. Youth transitions and social exclusion: developments in social

capital theory. Journal of Youth Studies, n. 3, v. 2, p. 147-166, 2002.

ROMANELLI, G. Famílias de camadas médias e escolarização superior dos filhos: o estudantetrabalhador.

In: NOGUEIRA, M. A.; ROMANELLI, G.; ZAGO, N. Família & escola:

trajetórias de escolarização em camadas médias e populares. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

p. 199-225.

RUDD, P.; EVANS, K. Structure and agency in youth transitions: student experiences of

vocational further education. Journal of Youth Studies, n. 1, v. 1, p. 39-62, 1998.

SAVAGE, M.; LI, Y.; TAMPOBOULON, G. Rethinking the politics of social capital:

challenging Tocquevillian perspectives. In: EDWARDS, R.; FRANKLIN, J.; HOLLAND, J.

(Org.). Assessing Social Capital: Concepts, Policy and Practice. Cambridge Scholars Press:

Cambridge, 2007. p. 70-94.

SILVA, J. Por que uns e não outros? Caminhada de jovens pobres para a universidade. Rio

de Janeiro: Sete Letras, 2003.

VIANA, M. J. B. Longevidade escolar em famílias de camadas populares: algumas

condições de possibilidades. 1998. 414 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de

Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1998.

ZAGO, N. Do acesso à permanência no ensino superior: percursos de estudantes universitários

de camadas populares. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 32, p. 226-

, 2006.

______. Cursos pré-vestibulares populares: limites e perspectivas. Perspectiva, Florianópolis,

v. 26, n. 1, p. 149-174, 2008.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7984.2017v16n37p348

Direitos autorais 2018 Política & Sociedade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Visite nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/revistapoliticaesociedade/

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Revista Política & Sociedade - ISSNe 2175-7984
Florianópolis - SC - Brasil

CNPq CAPES