Recursos livres, livros fechados: uma análise da dimensão interativa dos objetos educacionais digitais no ensino de Sociologia

Zuleika de Paula Bueno, Fagner Carniel

Resumo


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-7984.2015v14n31p132

Este artigo pretende discutir a dimensão interativa dos livros didáticos digitais aprovados pelo
Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). A investigação proposta tomou como referência
as obras de Sociologia avaliadas pelo programa em 2015. O objetivo é analisar tais materiais
considerando suas potencialidades e seus limites de uso no Ensino Médio brasileiro. Para tanto,
consideramos os pressupostos teóricos oferecidos pela bibliografia recente sobre mídias digitais
e destacamos as formas emergentes de interação com o conhecimento socialmente produzido e disponibilizado na web. Por fim, evidenciamos o choque entre lógicas fechadas, restritas e protegidas, que organizam os atuais livros didáticos digitais disponibilizados aos colégios públicos do país, e os usos de softwares livres de edição que estão sendo disseminados nos formatos de recursos educacionais abertos.


Palavras-chave


Ensino de Sociologia; Livros didáticos; Recursos educacionais abertos

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, M.P., BRIDI, M.A., MOTIM, B.M.L. Sociologia. São Paulo: Editora Scipione, 2013.

BARBERO, J. M. A comunicação na educação. São Paulo: Contexto, 2014a.

______. Diversidade em convergência. Matrizes, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 15-33, jul./dez. 2014b.

BARBOSA, A. (Org.). Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras: TIC Educação 2013 [livro eletrônico]. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no

Brasil, 2014. Disponível em:

pdf>. Acesso em: 26 ago. 2015.

BRASIL. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Guia de Livros didáticos. 2014. Disponível em:

?Itemid=1297&highlight=YToxMjp7aTowO3M6NDoiZ3VpYSI7aToxO3M6

MjoiZGUiO2k6MjtzOjY6ImxpdnJvcyI7aTozO3M6MTA6ImRpZMOhdGljb3MiO2k6NDtpOjIwMTQ7aTo1O3M6NzoiZ3VpYSBkZSI7aTo2O3M6MTQ6Imd1aWEgZGUgbGl2cm9zIjtpOjc7czo5OiJkZSBsaXZyb3MiO2k6ODtzOjIwOiJkZSBsaXZyb3MgZGlkw6F0aWNvcyI7aTo5O3M6MTc6ImxpdnJvcyBkaWTDoXRpY29zIjtpOjEwO3M6MjI6ImxpdnJvcyBkaWTDoXRpY29zIDIwMTQiO2k6MTE7czoxNToiZGlkw6F0aWNvcyAyMDE0Ijt9>. Acesso em: 27 ago. 2015.

______. ______. Dados estatísticos – PNLD. 2015a. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2015.

______. ______. Editais. 2015b. Disponível em:

livro-didatico-editais>. Acesso em: 26 ago. 2015.

______. Ministério da Educação. Portal do Professor. Disponível em: . Acesso em: 28 ago. 2015.

CANEVACCI, M. Etnografia post-euclidiana e culturas digitais. Diálogos Possíveis, Bahia, v. 12, n. 1, p. 28-46, 2013. Disponível em:

dialogospossiveis/issue/view/4/showToc>. Acesso em: 27 ago. 2015.

CASSIANO, C. C. F. O impacto do PNLD no ensino de História: cifrões e ideologia. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA ANPUH, 27., 22-26 jul. 2013, Natal, 2013. Anais Eletrônicos... Natal: UFRN, 2013. Disponível em:

ARQUIVO_ANPUH"nalCeliaCassiano-2013.pdf>. Acesso em: 18 ago. 2015.

______. Materiais didáticos e ensino na escola básica: impactos no currículo e na produção editorial brasileira. Remate de Males, Campinas, v. 2, n. 34, p. 375-396, jul./dez. 2014.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Vozes, 2002.

CHINAGLIA, J. V. Objetos Digitais Educacionais no PNLD 2014: uma análise sobre o ensino dos novos letramentos. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA SIELP, 4., 2014, Uberlândia. Anais Eletrônicos... Uberlândia, 2014.

Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2015.

DAHER, D. C., FREITAS, L. M. A., SANT’ANNA, V. L. A. Breve trajetória do processo de avaliação do livro didático de língua estrangeira para a educação básica no âmbito do PNLD. Eutomia, Recife, v. 1, n. 11, p. 407-426, jan./jun. 2013.

DI GIORGI, C. A. G. et al. Uma proposta de aperfeiçoamento do PNLD como política pública: o livro didático como capital cultural do aluno/família. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 22, n. 85, p. 1027-1056, out./dez. 2014.

ERAS, W. E. Trajetórias, travessias e produtores: sociologias, conhecimentos e os autores dos livros coletâneas sobre o ensino de sociologia na Educação Básica. Revista Brasileira de Sociologia,

Sergipe, v. 2, n. 3, jan./jun. 2014.

FERREIRA, M. M.; FRANCO, R. Desa"os do ensino de história. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 21, n. 41, p. 79-93, jan./jun. 2008.

FRAGO, A. V. Las instituciones y culturas escolares en su perspectiva socio-histórica: tradiciones y câmbios. In: ENGUITA, M. F. (Org.). Sociología de las instituciones de Educación Secundaria. Espanha: Horsori, 1997. p.13-24.

OROZCO GÓMEZ, G. Podemos ser mais criativos ao adotar a inovação tecnológica em educação? Uma proposta em comunicação. Matrizes, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 209-216, 2007. Disponível em:

. Acesso em: 27 ago. 2015.

HALL, S. Da Diáspora. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

HJARVARD , S. Midiatização: teorizando a mídia como agente de mudança social e cultural. Matrizes, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 53-92, jun. 2012. Disponível em:

index.php/matrizes/article/view/338>. Acesso em: 27 ago. 2015.

JACQUINOT-DELAUNAY, G. Convergência tecnológica, divergências pedagógicas: algumas observações sobre os “nativos digitais” e a escola. Comunicação, educação e cultura na era digital.

São Paulo: Intercom, 2009.

JENKINS, H. Lendo criticamente e lendo criativamente. Matrizes, v. 6, n. 1, p. 11-24, jul./dez. 2012.

HORELLOU-LAFARGE, C. H.; SEGRÉ, M. Sociologia da leitura. São Paulo: Ateliê Editorial, 2010.

LÉVY, P. As Tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

______. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

MACHADO, I. J. R., AMORIM, H., BARROS, C. R. Sociologia Hoje. São Paulo: Ática, 2013.

MACIEL, G. N. O Programa Nacional do Livro Didático e as mudanças nos processos de avaliação dos livros de geografia. Pesquisar, v. 1, n. 1, p. 231-253, 2014.

MANOVICH, L. Novas mídias como tecnologia e ideia: dez de%nições. In: LEÃO, L. (Org.). O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora SENAC, 2005. p. 24-50.

MARTINEZ, M. L. Livro digital: continuidades e rupturas de um mercado em transformação. In: CONGRESSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO NA REGIÃO SUDESTE, 19., 22-24 maio 2014, Vila Velha. Anais Eletrônicos... Vila Velha: Intercom, 2014. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2015.

MARTINO, L. M. S. Teoria das mídias digitais: linguagens, ambientes e redes. Petrópolis: Vozes, 2014.

MELLO, G. Desafios para o setor editorial brasileiro de livros na era digital. BNDES Setorial 36 – Economia da Cultura, Brasília, p. 429-473, 2012. Disponível em:

SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Galerias/Arquivos/conhecimento/bnset/set3612.pdf>. Acesso em: 19 ago. 2015.

MEUCCI, S. Notas sobre o pensamento social brasileiro nos livros didáticos de Sociologia. Revista Brasileira de Sociologia, Sergipe, v. 2, n. 3, jan./jun. 2014.

MIRANDA, S. R.; LUCA, T. R. O livro didático de história hoje: um panorama a partir do PNLD. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 24, n. 48, p. 123-144, 2004.

MODERNA. Portal do professor. 2015. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2015.

PEREIRA, L. H. A escolha do Livro Didático de Sociologia em Porto Alegre. Saberes em Perspectiva, Jequié, v. 4, n. 8, p. 139-153, jan./abr. 2014. Disponível em:

com.br/index.php/saberesemperspectiva/article/view/v4n8art7>. Acesso em: 20 ago. 2015.

PORTAL PEDAGÓGICO. 2015. Disponível em:

aspx>. Acesso em: 27 ago. 2015.

RHEINGOLD, H. A comunidade virtual. Lisboa: Gradiva, 1997.

RODRIGUES, M. A. S.; CHIMENTI, P. C. P. S.; NOGUEIRA, A. R. R. Adoção de inovações em mercados em rede: uma análise da introdução do livro didático digital no Brasil. In: ENCONTRO DE MARKETING DA ANPAD, 6., 2014, Gramado. Anais... Gramado: ANPAD, 2014. p. 1-16.

ROSSINI, C.; GONZALES, C. REA: o debate em política pública e as oportunidades para o mercado. In: SANTANA, B.; ROSSINI, C.; PRETTO, N. L. Recursos educacionais abertos: práticas colaborativas e políticas públicas. 1. ed. 1. Impr. São Paulo; Salvador: Edufba, 2012. p. 35-70.

SANTOS, A. I. Educação aberta: histórico, práticas e o contexto dos recursos educacionais abertos. In: SANTANA, B.; ROSSINI, C.; PRETTO, N. L. Recursos educacionais abertos: práticas colaborativas e políticas públicas. 1. ed. 1. Impr. São Paulo; Salvador: Edufba, 2012. p. 71-91.

SARAIVA EDUCACIONAL. 2015. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2015.

SEO, J. A iniciativa “Smart Education”: um olhar às escolas do futuro. O uso das TIC na educação – o caso da República da Coreia. In: BARBOSA, A. (Org.). Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras: TIC Educação 2013 [livro eletrônico]. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2014. p. 93-100. Disponível em:

br/media/docs/publicacoes/2/tic-educacao-2013.pdf>. Acesso em: 19 ago. 2015.

SILVA, A, LOUREIRO, B., MIRANDA, C, FERREIRA, F., et al. Sociologia em movimento. São Paulo: Moderna, 2013.

TOMAZI, N. Sociologia para o Ensino Médio. São Paulo: Editora Saraiva, 2013.

ZAMBON, L. B.; TERRAZZAN, E. A. Políticas de material didático no Brasil: organização dos processos de escolha de livros didáticos em escolas públicas de educação básica. Revista brasileira de estudos pedagógicos, Brasília, v. 94, n. 237, p. 585-602, maio/ago. 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-7984.2015v14n31p132

Direitos autorais 2016 Política & Sociedade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Visite nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/revistapoliticaesociedade/

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Revista Política & Sociedade - ISSNe 2175-7984
Florianópolis - SC - Brasil

CNPq CAPES