Vivendo e aprendendo: processos de mudança em grupos marginalizados pela “deficiência” e pela velhice “incapacitada”

Autores

  • Silvia Zanatta Da Ros UFSC - Florianópolis - SC

Resumo

A longevidade dos seres humanos demanda novos olhares à qualidade de vida das pessoas. Grupos geralmente marginalizados como o de pessoas com história de deficiência ou aqueles compostos pela velhice "carente" destacam-se neste panorama como alvos de atenção. O presente artigo relata um trabalho que estudou a viabilidade de uma formação ocupacional para os primeiros, como mediadores de atividades artísticas e de lazer, e para as senhoras que vivem num asilo situado numa das praias de Florianópolis. Com base em aportes teóricos de Vygotski e Feuerstein, foi possível acompanhar os processos de compensação e modificabilidade vivenciados.

Biografia do Autor

Silvia Zanatta Da Ros, UFSC - Florianópolis - SC

Graduação em Pedagogia pela UFRGS (1973) , especialização em Psicopedagogia Terapêutica pela UFRGS (1975) , mestrado em Educação pela UFSC (1990) e doutorado em Educação (Psicologia da Educação) pela PUC - SP (1997) . Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Downloads

Publicado

2000-01-01