Composição corporal, gasto energético e ingestão alimentar em modelos brasileiras

Autores

  • Alexandra Magna Rodrigues Universidade Federal de São Paulo, Departamento de Pediatria. São Paulo, SP.
  • Isa de Pádua Cintra Universidade Federal de São Paulo, Departamento de Pediatria. São Paulo, SP.
  • Luana Caroline dos Santos Universidade de São Paulo, Escola de Saúde Pública, Departamento de Nutrição, São Paulo, SP. Brasil.
  • Marco Túlio de Mello Universidade Federal de São Paulo, Departamento de Psicobiologia, São Paulo, SP. Brasil.
  • Sérgio Tufik Universidade Federal de São Paulo, Departamento de Psicobiologia, São Paulo, SP. Brasil.
  • Mauro Fisberg Universidade Federal de São Paulo, Departamento de Pediatria. São Paulo, SP.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2009v11n1p1

Palavras-chave:

Adolescente, Modelos, Composição corporal, Ingestão alimentar, Adolescent, Fashion models, Body composition, Body fat, Food intake.

Resumo

O objetivo desse estudo foi comparar a composição corporal, taxa de metabolismo em repouso e ingestão alimentar entre adolescentes modelos e não modelos. Participaram do estudo 33 modelos e 33 não modelos, de 15 a 18 anos, pareadas por idade e IMC. A avaliação da composição corporal foi realizada por meio da técnica de pletismografia. A taxa de metabolismo em repouso (TMR) foi obtida pelo método da calorimetria indireta e a avaliação da ingestão alimentar foi realizada por meio de um registro alimentar de 3 dias alternados. Não houve diferença estatisticamente significante em relação aos valores médios de percentual de gordura corporal entre os grupos estudados (p>0,05). Entretanto, ao classificar as adolescentes quanto ao percentual de gordura corporal, observou-se que nenhuma modelo apresentou percentual de gordura corporal menor do que 15%, enquanto 15,2% das adolescentes não modelos apresentaram baixo percentual de gordura corporal (p<0,05). Os valores de TMR (kcal/d) foram semelhantes entre modelos (1367,22) e não modelos (1309,43) (p>0,05). Em relação à ingestão de energia, observou-se que a média de ingestão energética foi 1480,93kcal ± 582,95 e 1973,00kcal ± 557,63 entre modelos e não modelos, respectivamente (p=0,001). Conclui-se que as modelos, em sua maioria, apresentaram composição corporal dentro dos valores considerados normais para esta fase da vida. Os valores de TMR foram similares entre os grupos. Entretanto, a ingestão energética (kcal) foi menor entre as modelos em relação às adolescentes não modelos.

Downloads

Publicado

2009-01-01

Edição

Seção

Artigos Originais