Diabetes Mellitus tipo 2: Aspectos fisiológicos, genéticos e formas de exercício físico para seu controle.

Autores

  • Gisela Arsa Universidade Catolica de Brasi­lia
  • Laila Lima Universidade Católica de Brasília
  • Sandro Soares de Almeida Universidade de Mogi das Cruzes
  • Sérgio Rodrigues Moreira Universidade Católica de Brasília
  • Carmen Sílvia Grubert Campbell Universidade Católica de Brasília
  • Herbert Gustavo Simões Universidade Católica de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2009v11n1p103

Palavras-chave:

Diabetes Mellitus, Exercício físico, Polimorfismo genético, Diabetes mellitus, Physical exercise, Genetic polymorphisms.

Resumo

Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2) é uma doença metabólica caracterizada por hiperglicemia e disfunções cardiovasculares, as quais podem ser controladas com exercícios físicos, controle dietético e tratamento farmacológico. Pesquisas recentes têm demonstrado associações entre DM2 e alguns polimorfismos genéticos, em especial do gene da Enzima Conversora de Angiotensina (ECA). A proposta desse estudo foi abordar a fisiopatologia do DM2 e a prática de exercício físico como forma de controle não farmacológico da glicemia e pressão arterial destes pacientes, bem como a associação entre o DM2 e polimorfismos do gene da ECA. A pesquisa incluiu livros da área de saúde, bem como artigos de revisão e originais referentes ao tema abordado, pesquisados nos bancos de dados disponíveis na internet: Pubmed, Scielo e Portal Capes. As palavras chave utilizadas foram “blood glucose”, “type 2 diabetes”, “exercise”, “blood pressure” e “ACE gene polymorphism”, e suas traduções para a língua portuguesa. Os principais assuntos do presente artigo referem-se à prática diária de exercícios, tipo e intensidades adequadas que têm se mostrado eficazes no controle glicêmico e hemodinâmico, assim como as possíveis relações com os polimorfismos da ECA, que ainda se apresentam incipientes, pois a constatação de associações entre estes podem ser fortemente influenciadas pelo tipo de população estudada. Os benefícios do exercício são indiscutíveis e suas recomendações apresentadas nesta revisão. Porém a literatura ainda é carente de estudos analisando os efeitos do exercício físico para diabéticos, considerando sua relação com aspectos genéticos, o que coloca este assunto em evidência como objeto de estudo na atualidade.

Biografia do Autor

Gisela Arsa, Universidade Catolica de Brasi­lia

Mais informaçoes:
Currí­culo Lattes

Downloads

Publicado

2009-01-01

Edição

Seção

Artigos de Revisão