Efeitos da posição dos joelhos no plano frontal sobre as forças aplicadas no ciclismo: estudo preliminar

Autores

  • Rodrigo Rico Bini Auckland University of Technology
  • Felipe Pivetta Carpes Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Fernando Diefenthaeler Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2009v11n2p142

Palavras-chave:

Ciclismo, Forca, Joelho, Membro inferior, Bycling, Force, Knee, Lower Extremity

Resumo

O objetivo foi comparar a força aplicada no pedal de ciclistas, pedalando com os joelhos tangenciando o quadro da bicicleta (posição de Adução), com a posição prefe¬rida (posição de Referência), e a posição com os joelhos afastados do quadro da bicicleta (posição de Abdução). Seis ciclistas foram avaliados. Foi determinado o consumo máximo de oxigênio (VO2Máx), sendo posteriormente os ciclistas avaliados em três situações: Posição de Referência; Posição de Adução; Posição de Abdução. O VO2 referente ao segundo limiar ventilatório foi utilizado para normalização da carga de trabalho. A medição da força apli¬cada foi realizada por um pedal instrumentado. O VO2 e a potência produzida não diferiram entre as posições de Adução (50,4 ± 6,9 ml.kg-1.min-1 e 263 ± 29 W), Abdução (50,8 ± 5,9 ml.kg-1.min-1 e 250 ± 46 W) e a posição de Referência (50,4 ± 5,9 ml.kg-1.min-1 e 246 ± 47 W). A cadência de pedalada aumentou significativamente nas posições de Adução (94 ± 8 rpm) e Abdução (95 ± 5 rpm), comparadas à Posição de Referência (89 ± 8 rpm). Não foram observadas diferenças para a força efetiva e índice de efetividade entre as posições de Referência, Adução e Abdução. A força resultante apresentou aumento na Posição de Adução (284,5 ± 44,5 N) quando comparada à Posição de Referência (246,9 ± 39,2 N). Estes resultados indicam que os ciclistas avaliados foram capazes de aplicar mais força no pedal na posição de Adução, no entanto, não foram capazes de direcionar esta força de forma mais efetiva para o movimento.

Biografia do Autor

Rodrigo Rico Bini, Auckland University of Technology

Estudante de Doutorado em Esportes e Exercicio na Auckland University of Technology New Zealand Mestre em Ciencias do Movimento Humano pela UFRGS Estudante Membro da Sociedade Internacional de Biomecanica e Sociedade Internacional de Biomecanica do Esporte Membro do Grupo de Pesquisa em Biomecanica e Cinesiologia da UFRGS Pesquisador na Area de Biomecanica do Esporte com Enfase em Biomecanica do Ciclismo

Downloads

Publicado

2009-01-01

Edição

Seção

Artigos Originais