Influência de 12 anos de prática de atividade física regular em programa supervisionado para idosos

Autores

  • José Rodrigo Pauli Universidade Federal de São Paulo, Modalidade Saúde, Faculdade de Educação Física, Departamento de Biociências, Santos, SP. Brasil.
  • Luciana Santos Souza Universidade Estadual Paulista. Rio Claro, SP. Brasil.
  • Anderson Saranz Zago Universidade Estadual Paulista. Rio Claro, SP. Brasil.
  • Sebastião Gobbi Universidade Estadual Paulista. Rio Claro, SP. Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2009v11n3p255

Palavras-chave:

Envelhecimento, Aptidão funcional, Atividade física, Qualidade de vida, Aging, Functional fitness, Physical activity, Quality of life.

Resumo

O envelhecimento é um processo inevitável, associado com o declínio fisiológico e da capacidade funcional do ser humano. O objetivo deste estudo foi verificar os efeitos de 12 anos de prática de atividade física em programa supervisionado, sobre a aptidão funcional em idosos. Dez idosas (idade média de 65 anos) participaram do estudo. Elas foram divididas em dois grupos: a) grupo treinado (GT), composto de 5 articipantes que estavam atendendo um programa supervisionado que incluía diferentes tipos de atividades físicas de intensidade moderada; b) grupo não treinado (GNT), participantes que não estavam engajadas em programa supervisionado de atividade física, ambos nos últimos 12 anos. A aptidão funcional foi avaliada por meio da bateria de testes para idosos da AAHPERD que é composta por cinco testes: coordenação, flexibilidade, resistência de força, agilidade e equilíbrio dinâmico e resistência aeróbia geral. Os resultados mostram que as idosas que permaneceram no programa de atividade física apresentaram melhor desempenho nos testes motores. Portanto, enquanto idosas que continuam a participar regularmente de atividades físicas num programa supervisionado tendem a melhorar ou manter todos os componentes de aptidão funcional, mesmo durante o longo período de 12 anos, aquelas que só realizam atividades físicas requeridas nas tarefas da vida diária, tendem a reduzir a maioria daqueles componentes. As evidências do presente estudo possibilitam predizer diferenças de aptidão funcional, cada vez maiores, entre os dois grupos, com o passar do tempo, o que pode produzir efeitos de direção oposta nas respectivas qualidades de vida.

Downloads

Publicado

2009-01-01

Edição

Seção

Artigos Originais