Nível de atividade física e comportamento sedentário em escolares

Autores

  • Diego Augusto Santos Silva Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC.
  • Jadson de Oliveira Lima Secretaria de Estado da Educação. Aracaju. SE. Brasil
  • Roberto Jerônimo dos Santos Silva Secretaria de Estado do Esporte e Lazer - SEEL/SE
  • Rosa Luciana Prado Secretaria de Estado da Educação. Aracaju. SE. Brasil

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2009v11n3p299

Palavras-chave:

Atividade física, Estilo de vida, Saude, Motor activity, Students, Cross-sectional study

Resumo

Este trabalho objetivou verificar o nível de atividade física (NAF) e o comportamento sedentário em escolares da cidade de Aracaju (SE). Participaram do estudo 1028 estudantes de ambos os sexos, com uma média de 15,38 (2,44) e 15,24 (2,40) anos de idade para o sexo feminino e masculino, respectivamente. Da amostra, 24,7% eram crianças e 75,3% adolescentes, com uma média de 12,07 (0,88) e 16,39 (1,72) anos de idade, respectivamente. Utilizou-se um instrumento já aplicado em estudos nacionais, com o qual se identificou o tempo médio de horas assistindo TV (hTV) por dia e o NAF – PAQ-C. Para a análise de dados, foram empregados a estatística descritiva, o teste “t” para amostras independentes, o Exato de Fisher e o teste de comparação entre duas proporções. Adotou-se nível de significância de 5% (p≤0,05). O sexo masculino teve um escore de 2,25 (0,60) para atividade física, significativamente, maior que o feminino. A prevalência de sedentarismo foi 72,5, 89,3 e 85,2% para o sexo feminino, considerando os, grupos pos “crianças”, adolescentes” e “todo o grupo”, respectivamente, sendo para o masculino uma prevalência de 55,4, 74,8 e 69,8% para os mesmos grupos considerados. Não houve diferenças quando consideradas as hTV entre os sexos e nem ao comparar escolares sedentários com ativos fisicamente (p>0,05). Concluiu-se que: a) há alta prevalência de crianças e adolescentes caracterizados como “sedentários” e “muito sedentários”; b) o sexo masculino apresentou maiores NAF que o feminino c) adolescentes são menos ativos do que as crianças. d) há grande quantitativo de hTV no grupo estudado.

Biografia do Autor

Diego Augusto Santos Silva, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC.

Núcleo de Pesquisa em Cineantropometria e Desempenho Humano – NuCiDH

Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Jadson de Oliveira Lima, Secretaria de Estado da Educação. Aracaju. SE. Brasil

Mestrado em Saúde e Ambiente – UNIT - GEPAFIS/UNIT

Roberto Jerônimo dos Santos Silva, Secretaria de Estado do Esporte e Lazer - SEEL/SE

Secretaria de Estado do Esporte e Lazer - SEEL

GEPAFIS/UNIT

Rosa Luciana Prado, Secretaria de Estado da Educação. Aracaju. SE. Brasil

Mestrado em Saúde e Ambiente – UNIT - GEPAFIS/UNIT

Downloads

Publicado

2009-01-01

Edição

Seção

Artigos Originais