Avaliação sérica de danos musculares e oxidativos em atletas após partida de futsal

Autores

  • Cláudio Teodoro Souza Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.
  • Cleber Medeiros Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.
  • Luciano Acordi Silva Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.
  • Tiago Silveira Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.
  • Paulo Cesar Silveira Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.
  • Cleber Aurino Pinho Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.
  • Debora Luz Scheffer Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.
  • Ricardo Aurino Pinho Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2010v12n4p269

Palavras-chave:

Futsal, Esporte, Dano muscular, Estresse oxidativo, Sport, Muscle damage, Oxidative stress.

Resumo

O futsal é uma modalidade esportiva que requer súbita aceleração e desace-leração com brusca mudança de direção. Este esporte expõe seus praticantes a grandes impactos, causando danos musculares e oxidativos. O objetivo desta pesquisa foi avaliar os níveis séricos de marcadores de danos musculares e oxidativos em atletas após jogo de futsal. Participaram do estudo, seis atletas de futsal, com idade média (21,2 ± 0,98 anos), peso (67,1 ± 5,5 kg) e altura (171,0 ± 0,07 cm). As coletas foram obtidas 30 minutos antes do jogo 1 (Pré-jogo); imediatamente após o jogo 1 (pós-jogo 1) e imediatamente após o segundo jogo (pós-jogo 2), que foi realizado 24 horas após o jogo 1. O soro foi utilizado para avaliações séricas de creatina quinase, dano protéico e lipídico. As concentrações de creatina quinase, peroxidação lipídica (xilenol) e carbonilação de proteína (carbonil) foram significativamente maiores após o término dos jogos 1 e 2, quando comparadas aos valores pré jogo. Os valores de sulfidrila foram menores após o término dos jogos 1 e 2, quando comparados aos valores pré jogo. Nenhuma diferença foi observada quando comparados os valores após jogo 1 e o jogo 2 em todos os parâmetros analisados. Coletivamente, os resultados demonstram que a partida de futsal provoca danos musculares e oxidativos. Surpreendentemente, não houve incremento nos parâmetros avaliados ao final do jogo 2. Devido ao reduzido conhecimento em relação ao tempo de recuperação após uma partida de futsal, acredita-se que este estudo seja de grande importância para os profissionais que trabalham com esse esporte. .

Biografia do Autor

Cláudio Teodoro Souza, Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.

Laboratorio de Fisiologia e Bioquimica do Exercicio - FAFIBE - Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde - PPGCS - UNESC

Cleber Medeiros, Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.

Departamento de Educaçao Fisica - UNESC

Luciano Acordi Silva, Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.

PPGCS - UNESC

Tiago Silveira, Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.

Educacao Fisica - UNESC

Paulo Cesar Silveira, Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.

PPGCS - UNESC

Cleber Aurino Pinho, Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.

Educacao Fisica - UNESC

Debora Luz Scheffer, Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.

Educacao Fisica - UNESC

Ricardo Aurino Pinho, Universidade do Extremo Sul Catarinense. Crisciúma, SC. Brasil.

LAFIBE - PPGCS - UNESC

Downloads

Publicado

2010-01-01

Edição

Seção

Artigos Originais