Lombalgia e o equilíbrio corporal de atletas da seleção brasileira feminina de canoagem velocidade

Autores

  • Luiz Fernando Cuozzo Lemos Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS. Brasil
  • Clarissa Stefani Teixeira Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS. Brasil
  • Carlos Bolli Mota Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS. Brasil

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2010v12n6p457

Palavras-chave:

Equilíbrio, Esporte, Canoagem Velocidade, Dor lombar.

Resumo

A dor lombar vem sendo apontada como interveniente na estabilidade corporal. No esporte, o estudo dessas relações é importante visto que os acometimentos podem in-fluenciar os resultados dos treinamentos e das competições. Em mulheres canoístas de elite, a literatura reporta altos índices de lesões na região lombar. O estudo teve como objetivo verificar a influência da dor lombar sobre o equilíbrio corporal de atletas da seleção brasileira feminina de canoagem velocidade. Métodos: As atletas com dor lombar (na última semana) foram comparadas com as atletas sem dor, em condições bipodal e unipodal, com olhos abertos e fechados, utilizando-se uma plataforma de força AccuSway Plus, da marca AMTI (Advanced Mechanical Technology, INC). As variáveis analisadas foram a amplitude do centro de pressão na direção ântero-posterior (COPap) e na direção médio-lateral (COPml). Os resultados mostraram maior instabilidade corporal para as atletas com queixas de dor lombar. No COPml apenas não apresentaram diferença estatisticamente significativa uma das condições (p=0,901) e o COPap apenas duas (p=0,414 e p=0,567), ambas em tentativas unipodais e de olhos fechados. Pode-se concluir que a  dor na região lombar indicou ser prejudicial ao equilíbrio corporal de canoístas de alto nível do gênero feminino.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Cuozzo Lemos, Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS. Brasil

Mestre em Educação Física - Atividade física e esportes pela Universidade de Brasília

Clarissa Stefani Teixeira, Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS. Brasil

Doutoranda em Ergonomia pela Universidade Federal de Santa Catarina

Carlos Bolli Mota, Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS. Brasil

Prof. Adjunto da Universidade Federal de Santa Maria. Doutor em Ciencia do Movimento Humano pela UFSM.

Downloads

Publicado

2010-09-05

Edição

Seção

Artigos Originais