Política de periódicos nacionais em Educação Física para estudos de revisão/sistemática

Autores

  • Gustavo Ricardo Schutz Universidade do Estado de Santa Catarina. Laboratório de Pesquisas em Biomecânica Aquática. Florianópolis, SC. Brasil.
  • Antônio Sérgio Santos Sant’Ana Universidade Federal de Santa Catarina. Laboratório de Pedagogia do Esporte. Programa de Pós--Graduação em Educação Física. Florianópolis, SC. Brasil.
  • Saray Giovana dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina. Laboratório de Biomecânica. Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Florianópolis, SC. Brasil

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2011v13n4p313

Palavras-chave:

Educação física, Revisão, Revisão por pares, Revisão acadêmica

Resumo

A grande quantidade de informações científicas produzidas e disponíveis nas diversas áreas, e também na Educação Física, traz a necessidade de sínteses dos conteúdos. Diferentes métodos de síntese/revisão são apresentados, podendo levar a diferentes respostas. Neste contexto objetivou-se verificar a política dos periódicos nacionais na área de Educação Física quanto a artigos de revisão, quantificar as revisões e classificá-las quanto à tipologia. Nesta pesquisa, do tipo bibliográfica, foram selecionados artigos de revisão e classificadas as revisões nos tipos sistemática e narrativa, a partir de critérios estabelecidos. Todos periódicos (13) apresentam possibilidade de publicação de artigos de revisão, mas não apresentam normas/métodos formulados especificamente para este tipo de artigo. Foi observada uma considerável produção de artigos de revisão (429), sendo 371 (86%) revisões narrativas e 58 (14%) sistemáticas. A priori, revisões narrativas são voltadas a produções de conhecimento por pesquisadores de prestígio cientifico e, o volume de produções deste tipo, por mais diversificada em temas que possa ter a Educação Física, não parece ser proporcional à quantidade reconhecida destes pesquisadores. Isto pode acarretar em menor qualidade da produção cientifica e rejeição a artigos desta natureza, como observado em periódicos de outras áreas. Devido ao critério em seu método, revisões sistemáticas parecem de maior valia em situações que pesquisadores não renomados desejem produzir artigos de revisão, evitando um desfecho precário. Esta forma apresenta maior rigor cientifico, com passos e normas para sua realização e, também, parece ser mais apreciada por editores de periódicos, sendo até classificados como artigos originais.

Biografia do Autor

Gustavo Ricardo Schutz, Universidade do Estado de Santa Catarina. Laboratório de Pesquisas em Biomecânica Aquática. Florianópolis, SC. Brasil.

Possui graduação em Educação Física (Bacharelado) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2002), especialização em Fisiologia do Exercício pela Universidade Veiga de Almeida (2005) e mestrado em Ciências do Movimento Humano - Sub-área: Biomecânica pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2006). Atualmente é Doutorando em Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina e professor colaborador do Centro de Ciências da Saúde e do Esporte da Universidade do Estado de Santa Catarina nas disciplinas Biomecânica, Cinesiologia e Educação Física Curricular I e II, e pesquisador do Laboratório de Pesquisas em Biomecânica Aquática; assessor Ad Hoc da Revista Brasileira de Fisioterapia; e membro da Sociedade Brasileira de Biomecânica.

Antônio Sérgio Santos Sant’Ana, Universidade Federal de Santa Catarina. Laboratório de Pedagogia do Esporte. Programa de Pós--Graduação em Educação Física. Florianópolis, SC. Brasil.

possui graduação em LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA pela Universidade Estadual de Feira de Santana (2002). Atualmente é professor da REDE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Educação Física Escolar

Saray Giovana dos Santos, Universidade Federal de Santa Catarina. Laboratório de Biomecânica. Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Florianópolis, SC. Brasil

Licenciatura em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá (1980); Especialização em Educação Física Infantil pela Universidade Estadual de Maringá (1983); Mestrado em Ciência do Movimento Humano em Crescimento e Desenvolvimento Humano pela Universidade Federal de Santa Maria (1993) e Doutorado em Engenharia de Produção em Ergonomia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003). Atualmente é professora efetiva da Universidade Federal de Santa Catarina no Curso de Educação Física e no Programa de Pós-graduação em Educação Física, e, atua ministrando as disciplinas de Medidas e Avaliação em Educação Física e Judô na Graduação e Metodologia da Pesquisa na Pós-graduação. Desenvolve pesquisa na área do Desempenho Humano, vinculado a: lesões, atletas, avaliação e acelerometria.

Downloads

Publicado

2011-06-14

Edição

Seção

Artigos de Revisão